Tamanho do texto

Presidente publicou vídeo nas redes sociais agradecendo o empenho do ex-presidente do PSL em sua campanha eleitoral e o trabalho realizado como ministro; Gustavo Bebianno deixou a secretaria-geral da Presidência hoje

Presidente do PSL durante as eleições de 2018, Gustavo Bebianno trabalhou diretamente na campanha de Jair Bolsonaro
Reprodução/Instagram Gustavo Bebianno
Presidente do PSL durante as eleições de 2018, Gustavo Bebianno trabalhou diretamente na campanha de Jair Bolsonaro


Minutos após o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, anunciar que Gustavo Bebianno foi exonerado da Secretaria-Geral da Presidência nesta segunda-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para divulgar um vídeo explicando a demissão de seu ministro.

Leia também: Bebianno é demitido e vira o primeiro ministro a cair no governo Bolsonaro

 Em seu discurso, Jair Bolsonaro agradece a dedicação e reconhecimento de Bebianno durante o período eleitoral e reconhece que o trabalho do ex-presidente do PSL foi importante para sua vitória. Ao final, antes de anunciar a demissão do ministro, o presidente disse que continua acreditando na seriedade e qualidade do trabalho do advogado.

"Tenho que reconhecer a dedicação e comprometimento a frente da coordenação da campanha eleitoral em 2018. Seu trabalho foi importante para o nosso êxito. Continuo acreditando na sua seriedade e qualidade do seu trabalho".

Leia também: Em meio a crise no governo, Bebianno cancela compromissos oficiais

Assista ao vídeo:



Em denúncia no último dia 9 de fevereiro , o jornal   Folha de S.Paulo   informou que o PSL repassou verbas públicas para uma candidata a deputada federal em Pernambuco e quatro em Minas Gerais, suspeitas de serem candidatas  laranjas  , ou seja, candidatas que não fizeram campanha efetivamente. 

Os repasses teriam sido autorizados pelo ex-secretário geral da Presidência que foi presidente do partido durante o período eleitoral. Depois de ser acusado, o advogado tentou afastar os boatos de que estava mal visto pelo presidente afirmando que ambos conversavam com frequência. "Só hoje falei com o presidente três vezes", disse na última terça-feira (12).

Leia também: General Floriano Peixoto é o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência

 Depois disso, na quarta-feira (13), o filho do presidente e vereador do Rio de Janeiro, Carlos  Bolsonaro, divulgou um áudio do pai afirmando que era uma "mentira absoluta" que ele teria conversado com o então ministro. A publicação foi repostada por Jair Bolsonaro . Desde então, começou a pressão no Palácio do Planalto pela demissão de Gustavo Bebianno, o que só aconteceu nesta segunda-feira (18).