Tamanho do texto

Senadores escolheram todos os presidentes para as comissões da Casa e, como era esperado, Simone Tebet (MDB-MS) estará à frente da CCJ

Simone Tebet foi aclamada como nova presidente da CCJ do Senado; veja outros presidentes escolhidos para as comissões do Senado
Marcos Oliveira/Agência Senado
Simone Tebet foi aclamada como nova presidente da CCJ do Senado; veja outros presidentes escolhidos para as comissões do Senado


A senadora Simone Tebet (MDB-MS) foi eleita presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) para o biênio 2019-2020. A reunião também escolheu o senador Jorginho Mello (PR-SC) como vice-presidente da comissão. Todos os presidentes das comissões do Senado foram decididos nesta quarta-feira (13).

Leia também: Senadores pedem para Tebet trocar de partido para derrotar Renan Calheiros

Ao manifestar a honra de presidir a CCJ, a senadora, que atuou como opositora de Renan Calheiros (MDB-AL) dentro de seu partido, prometeu uma “ação em favor do país”, dizendo ter consciência de que haverá muito trabalho na comissão nos próximos anos, quando certamente tratará de temas muito importantes para a sociedade. A divisão sobre os partidos que estariam à frente das comissões do Senado j á tinha sido anunciada pelo presidente Davi Alcolumbre (DEM) na terça-feira (12).

Simone Tebet assumiu o compromisso de dirigir os trabalhos sem “hierarquia”, tratando todos os membros da mesma forma, sem levar em conta a antiguidade ou o estado. Ela também prometeu não interferir na tramitação de projetos e garantiu a definição de todas as questões por meio do colegiado, com compromisso de imparcialidade.

“Hoje, mais do que nunca, esta é a comissão que representa o coração do povo brasileiro” declarou a senadora.

Segunda comissão considerada mais importante na Casa, os Assuntos Econômicos serão presididos pelo senador Omar Aziz (PSD-AM). O vice-presidente será o senador Plínio Valério (PSDB-AM). 

É na comissão de Assuntos econômicos que ocorrerem os pareceres sobre projetos na área econômica do País. Também cabe ao presidente da comissão convocar o presidente do Banco Central para uma sabatina. Isso foi, aliás, a primeira medida tomada por Aziz ao assumir o cargo. Roberto Campos Neto estará no Senado nos próximos dias.

Leia também: Senadores escolhem Mesa Diretora com Anastasia como vice-presidente do Senado

Partido de Jair Bolsonaro, o PSL terá presidente em apenas uma comissão. Soraya Thronicke (PSL-MS) estará à frente das discussões de Agricultura e Reforma Agrária. Outra senadora da sigla, Selma Arruda (PSL-MT) é vice-presidente da comissão de Assuntos sociais, que terá Romário (PODE-RJ) como presidente.

Confira os presidentes e vice-presidentes de todas as comissões:

  • Comissão de Assuntos Sociais
    Presidente:  Romário (Pode-RJ)
    Vice-presidente:  Selma Arruda (PSL-MT)
  • Comissão de Infraestrutura
    Presidente:  Marcos Rogério (DEM-RO)
    Vice-presidente:  Wellington Fagundes (PR-MT)
  • Comissão de Educação, Cultura e Esporte
    Presidente:  Dário Berger (MDB-SC)
    Vice-presidente:  Flávio Arns (Rede-PR)
  • Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa
    Presidente:  Paulo Paim (PT-RS)
    Vice-presidente:  Telmário Mota (PROS-RR)
  • Comissão de Agricultura e Reforma Agrária
    Presidente:  Soraya Thronicke (PSL-MS)
    Vice-presidente: Luis Carlos Heinze (PP-RS)
  • Comissão de Meio Ambiente (CMA)
    Presidente:  Fabiano Contarato (Rede-ES)
    Vice-presidente:  Jaques Wagner (PT-BA)
  • Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional
    Presidente:  Nelsinho Trad (PSD-MS)
    Vice-presidente:  Marcos do Val (PPS-ES)
  • Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ)
    Presidente: Simone Tebet (MDB-MS)
    Vice-presidente: Jorginho Mello (PR-SC)
  • Comissão de Assuntos Econômicos
    Presidente: Omar Aziz (PSD-AM)
    Vice-presidente: Plínio Valério (PSDB-AM)

 Com as presidências das comissões do Senado decididas, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre, já anunciou que não será criada uma nova comissão de Segurança Pública. De acordo com o senador, a intenção é enxugar a máquina e não aumentar os gastos.