Tamanho do texto

Após o ministro Dias Toffoli pedir providências, órgão informou que abriu um processo para investigar o vazamento dos documentos para a imprensa

Receita Federal negou que esteja investigando Gilmar Mendes por
Rosinei Coutinho/SCO/STF - 13.6.18
Receita Federal negou que esteja investigando Gilmar Mendes por "possíveis fraudes de corrupção"

A Receita Federal informou nessa segunda-feira (11) que não está investigando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e sua esposa, Guiomar Mendes. O comunicado foi feito por meio de nota após uma publicação da revista Veja , que informava que o órgão  estaria investigando o ministro. 

O comunicado da Receita Federal foi uma resposta ao pedido de providências feito na semana passada pelo presidente do Supremo, Dias Toffoli, após o vazamento para a imprensa de um documento interno no qual Gilmar Mendes e sua esposa são citados em uma apuração preliminar sobre "possíveis fraudes de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência".

Segundo a nota do órgão, "não há procedimento de fiscalização dos contribuintes" Gilmar e Guiomar. A Receita Federal afirmou ainda que não pactua com vazamento de informações ou com ilações de prática de crimes sem provas e que atua para combater apenas crimes fiscais, ou seja, a investigação de outras tipologias penais não é de responsabilidade do órgão. 

"As expressões 'possíveis fraudes de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência' constantes no documento que acompanha a matéria, não estão amparadas em evidências verificadas durante o procedimento de análise preliminar, de caráter interno, que podem ou não resultar de forma motivada em abertura de procedimento de fiscalização", diz o comunicado. 

Gilmar disse a Toffoli que tomou conhecimento extraoficialmente da investigação e que "nenhum fato concreto é apresentado nos trechos dos referidos documentos que foram vazados à imprensa". Afirmou ainda que até o momento não recebeu intimação referente ao procedimento fiscal nem teve acesso ao seu inteiro teor.

À coluna da Veja , Guiomar Mendes se disse "dominada por profunda perplexidade e indignação" por conta da investigação e assegurou que sua atuação profissional "sempre se pautou pelo respeito às instituições e àqueles que as integram e pela observância aos valores éticos e morais inerentes ao exercício da advocacia".

Leia também: Em nota, Sindifisco repudia vazamento de dados sigilosos de Gilmar Mendes

Na nota, a Receita Federal também informou que abriu um processo na corregedoria para apurar a divulgação do documento sobre Gilmar Mendes para a imprensa, que era sigiloso, e que todas as pessoas que tiveram acesso a ele foram identificadas.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.