Tamanho do texto

Voto a mais, são 81 senadores, levantou suspeitas de fraude e motivou anulação da primeira tentativa de votação na eleição de presidência da Casa

O Senado começou a investigar a fraude durante a eleição para presidente da Casa no início do mês de fevereiro. Na primeira votação foram apresentados 82 votos, um a mais do que o número total de senadores.

Leia também: Alcolumbre pede investigação de fraude em eleição para presidência do Senado

Senador Acir Gurgacz (PDT-RO) triturou votos após descoberta de fraude em eleição no Senado
Pedro França/Agência Senado - 2.2.19
Senador Acir Gurgacz (PDT-RO) triturou votos após descoberta de fraude em eleição no Senado

O pedido de investigação chegou à Corregedoria do Senado enviado pelo presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP). Agora, cabe ao corregedor, Senador Roberto Rocha (PSDB-MA) descobrir o que aconteceu durante uma das cenas mais lamentáveis assistidas dentro da Casa.

Imagens da TV mostram que um dos senadores teria votado duas vezes em Renan Calheiros . O vídeo registrou o voto quando as cédulas foram entregues ao senador José Maranhão (MDB) que presidia a sessão.

As lambanças não pararam por aí, logo após a fraude ser descoberta, os "votos extras" foram rasgados e as demais cédulas trituradas. As únicas provas do crime cometido contra os milhões de brasileiros foram destruídas. E a pergunta segue: Afinal, quem votou duas vezes em Renan Calheiros na eleição do Senado?

Leia também: Toffoli determina que presidente do Senado seja escolhido com voto secreto

No momento em que o problema foi constatado, vários senadores foram ao microfone protestar. O senador Major Olimpio (PSL-SP) disse que pediria as imagens da sessão, enquanto outros exigiram de imediato uma investigação.  

“Um senador da República deliberadamente preencheu duas vezes uma cédula de votação. Duas vezes. E fez isso em benefício de um senador especificamente. Isso vai ser apurado porque alguém se deu ao desfrute, teve a ousadia de tentar fraudar uma votação na frente do Brasil inteiro”, alegou Alessandro Vieira (PPS-SE).

“Os brasileiros esperam uma resposta porque numa votação de um presidente de um poder, onde tem 81 membros, ter 82 cédulas é um sinal de desprestígio para política e para os políticos. Então eu entendo que o corregedor vai dar celeridade”, disse o senador Davi Alcolumbre, presidente do Senado.

Leia também: Alcolumbre prega reunificação e quer Senado livre de "mesquinhada do Judiciário"

A investigação deve seguir as regras contidas no Ato do Corregedor 1/2018, que regulamenta os procedimentos da Corregedoria Parlamentar. O órgão é responsável no Senado por promover a manutenção do decoro, da ordem e da disciplina, incluindo questões referentes à segurança interna e externa da instituição.

Após a investigação no Senado , o corregedor poderá arquivar o fato, encaminhar à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, caso a apuração constate descumprimento do Código de Ética, ou encaminhar à autoridade administrativa competente para adoção das sanções cabíveis, quando a conduta punível não for atribuída ao senador.

Assista ao momento que os votos são triturados:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas