Tamanho do texto

Em vídeo publicado em seu canal no Youtube, o jornalista explica como o ex-presidente petista conseguiu chegar a sua "morte política" diante das urnas

Mais 12 anos e 11 meses de prisão. Nessa quarta-feira (6), a juíza Gabriela Hardt engordou o tempo do ex-presidente Lula na cadeia e o petista já acumula exatos 25 anos a serem cumpridos pelos crimes que cometeu.

Leia também: Defesa de Lula recorre ao STF para anular decisões de Hardt no caso do sítio

Lula morreu nas urnas
Reprodução/Le Monde
Lula morreu nas urnas

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia. A segunda sentença contra o ex-presidente tem uma representatividade ainda mais importante para o cenário político. "Lula está morto".

Sim, o candidato à Presidência na disputa eleitoral de 2018 acabou para o mundo político. Pelo menos, é o que afirma o jornalista  William Waack . Em seu canal no Youtube, o ex-global faz uma análise fria sobre como Lula cavou a própria cova.

Para o jornalista, a verdadeira condenação de Lula dessa vez é política já que mesmo condenado por Sérgio Moro, ele teve um extraordinário papel político nas últimas eleições. Waack afirmou que até outubro do ano passado, Lula era um político capaz de influenciar um pleito presidencial.

Leia também: Lula é condenado a 12 anos e 11 meses de prisão em ação sobre sítio de Atibaia

"É falta de caráter desse personagem, é o lado amoral do Lula, é a falta de lealdade que ele sempre demonstrou em relação a quem estava próximo dele, fosse parente ou correligionário político. Foi essa falta de caráter de Lula que o fez cometer erros políticos graves e favorecer seus adversários e essa onda antipetista. Pode se dizer que Lula está morto politicamente, não tanto pela segunda condenação, mas pelas urnas terem dado para ele uma despedida merecida", afirmou Waack.

"O grande crime cometido por Lula (...), o principal crime foi não ter aproveitado uma oportunidade histórica que coincidiu com a eleição dele no período de 2002 e 2003. Dificilmente, nos próximos anos, décadas, nós vamos ter uma situação de bonança tão impressionante, como tivemos e Lula achou que era, erroneamente, por causa dele", segue o jornalista.

Leia também: Gleisi associa condenação de Lula a possibilidade de petista ganhar Nobel da Paz

 Waack finaliza: "Essa oportunidade perdida é sim, fruto de decisões pessoais. Quando algo poderia ter sido feito ou mudado, ele usou o grande dedo, apontou uma pessoa incompetente e irresponsável como sucessora. Com a única esperança que ela esquentasse o banco para ele, deu errado. Todas as principais apostas políticas de Lula nos últimos anos deram errado, a genialidade política dele revelou-se na verdade uma extraordinária fragilidade, a capacidade dele de ler fatos da política mostrou-se apenas uma tentativa, mal-sucedida de escapar dos braços da Justiça. Mas a condenação de Lula veio, de verdade, pelas urnas. Eu acho que do ponto de vista histórico é a melhor e verdadeira condenação".

Assista ao vídeo de William Waack:


    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.