Tamanho do texto

Porta-voz da Presidência antecipou prioridades do governo em mensagem a ser levada ao Congresso na próxima quinta-feira (7) durante sessão

Presidente Jair Bolsonaro vai ler uma carta ao Congresso Nacional e elencar as prioridades do governo
Divulgação/Presidência
Presidente Jair Bolsonaro vai ler uma carta ao Congresso Nacional e elencar as prioridades do governo

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), está "evoluindo muito bem" após a cirurgia realizada no início desta semana e há esperança de que ele possa embarcar de volta a Brasília já na semana que vem, informou nesta quinta-feira (31) o porta-voz do Planalto, Otávio Santana do Rêgo Barros.

O porta-voz antecipou, em entrevista coletiva, alguns pontos da carta que o presidente Bolsonaro pretende ler, na próxima quinta-feira (7), em sessão no Congresso – que retoma seus trabalhos amanhã .

"Vamos trabalhar juntos para resgatar o Brasil. Proporemos uma nova Previdência, uma mais justa e que não retire direitos e assegure a saúde fiscal. Também vamos apresentar uma proposta que auxilie no combate ao crime organizado e à corrupção, atacando o fim da impunidade", elencou Rêgo Barros.

Segundo o porta-voz, a mensagem também irá pedir prioridade a projetos capazes de aprimorar a infraestrutura do País para "acabar com os gargalos logísticos que tentam atrapalhar o setor produtivo", e também focar na revisão de leis sobre a segurança de barragens.

Questionado pelos jornalistas sobre a inclusão dos militares na reforma da Previdência, Rêgo Barros afirmou que a equipe do presidente está analisando todas as possibilidades tantos para os militares quanto para outras carreiras. De acordo com o porta-voz, ainda não está definido se a proposta vai ser apresentada junto ao restante da reforma ou não. "É uma questão do presidente junto ao Congresso e junto aos seus ministros", afirmou.

Rêgo Barros também fez um balanço sobre a atuação dos militares israelenses no resgate as vítimas do rompimento de uma barragem em Brumadinho . "Os comandantes brasileiros elogiaram a equipe que veio ao Brasil para a operação de resgate", disse o porta-voz ao afirmar que o trabalho da missão de Israel "chegou ao fim com êxito".

O porta-voz afirmou ainda que todas as empresas de telefonia móvel cumpriram as decisões judiciais de quebra de sigilo de celulares de quem estava na região do desastre em Brumadinho durante os dias 24 e 25 de janeiro. Segundo Rêgo Barros, as companhias repassaram "informações como nome, CPF, cidade de origem e data e hora do último registro do sinal do celular".

Leia também: "Não tenho nenhum motivo para temer a prisão de ninguém", diz presidente da Vale

Sobre o caminho dos rejeitos, o porta-voz de Bolsonaro informou que a lama já chegou a São José da Varginha, que fica a 98 km de Brumadinho. O Ministério de Minas e Energia tem atuado para conter o avanço dos rejeitos.