Tamanho do texto

Partido também promete ações judiciais contra o cantor Lobão e a blogueira Regina Villela, que, segundo a sigla, criaram notícias falsas do ex-deputado

PSOL vai processar os irmãos Eduardo e Carlos Bolsonaro por discursos de ódio contra Jean Wyllys
Reprodução
PSOL vai processar os irmãos Eduardo e Carlos Bolsonaro por discursos de ódio contra Jean Wyllys


Incomodado com as notícias falsas e o que chama de discurso de ódio contra Jean Wyllys, o PSOL, partido do ex-deputado, promete entrar com ações judiciais contra o vereador Carlos Bolsonaro (PSL) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). Além deles, a sigla também deve processar o cantor Lobão e a blogueira Regina Villela.

Leia também: Jean Wyllys relata a Moro que sofreu novas ameaças após renunciar na Câmara

Em nota enviada nesta quarta-feira (30), o PSOL diz que os processos são relacionados à propagação criminosa em redes sociais após Jean Wyllys informar que vai deixar o Brasil por não suportar mais ameaças recebidas nos últimos anos.

“Ambos (Eduardo e Carlos Bolsonaro ) ironizaram, em redes sociais, a decisão do deputado, comprovadamente ameaçado – junto à sua família – de morte, linchamento e outros absurdos. Não é possível tolerar, principalmente de figuras públicas com grande relevância nas redes sociais, que questionem algo tão grave como a ameaça à vida de um deputado federal”, diz a nota.

Leia também: De ex-BBB a ativista LGBT na Câmara: relembre trajetória do deputado Jean Wyllys

O partido pede à Justiça o enquadramento dos parlamentares no artigo 286 do Código Penal, que trata da incitação ao crime e pode resultar em detenção de três a seis meses ou multa.

Cantor Lobão e blogueira Regina Villela também serão processados

Cantor Lobão também será processado pelo PSOL
Reprodução/Facebook
Cantor Lobão também será processado pelo PSOL


A sigla de Jean Wyllys também vai entrar com ações judiciais contra o cantor Lobão e a blogueira Regina Villela. O primeiro é um forte crítico da esquerda e twittou que o ex-deputado pode ter relação com o atentado contra Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Já a segunda, que é filiada ao PSL, gravou vídeos em seu canal no YouTube com as mesmas acusações.

Lobão foi um dos principais responsáveis pela difusão da fake news de que Jean Wyllys estaria saindo do país por supostamente “estar envolvido com a tentativa de assassinato contra Jair Bolsonaro”, em setembro.

Regina Villela é autora do vídeo, contendo a mesma mentira, mais assistido nas redes sociais, em especial no canal “Politicaplay” do YouTube. Nele, ela “contracena” com o engenheiro Antonio Carlos Bronzeri propagando mentiras sobre Jean Wyllys, além de raivosos discursos de ódio contra a esquerda em geral.

O PSOL pede que a Justiça reconheça a ilegalidade das manifestações da blogueira, pede pagamento de indenização por danos morais e que o Google retire todas as versões do vídeo publicadas no YouTube.