Tamanho do texto

Para ministro da Casa Civil, para evitar acidentes é necessário “educação” e “orientação”; decreto exige cofre ou compartimento seguro para armamento

Segundo Onyx Lorenzoni, é preciso ter
Divulgação/Governo de Transição
Segundo Onyx Lorenzoni, é preciso ter "cuidado redobrado" com a arma quando há crianças na casa

Após a assinatura do decreto que facilita a posse de armas de fogo , o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta terça-feira (15) que evitar acidentes com crianças é uma questão de “educação” e “orientação”. Ele comparou o risco para uma criança de alguém manter uma arma de fogo em casa ao risco de a mesma criança se acidentar com um liquidificador.

“A gente vê criança pequena botar o dedo dentro do liquidificador e ligar o liquidificador e perder o dedinho. Então, nós vamos proibir os liquidificadores? Não. É uma questão de educação, é uma questão de orientação. No caso da arma, é a mesma coisa. Então, a gente colocou isso [a exigência de cofre] para mais uma vez alertar e proteger as crianças e os adolescentes”, afirmou o ministro Onyx Lorenzoni .

O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) permite manter uma arma dentro de casa. Se cumpridos os requisitos de "efetiva necessidade", os cidadãos das zonas rural e urbana em todo o país poderão ter até quatro armas cada um. Nas residências onde há crianças, adolescentes ou pessoas com deficiência mental, é preciso comprovar existência de cofre ou local seguro para armazenamento.

Leia também: PT vai recorrer ao STF contra decreto de posse de armas assinado por Bolsonaro

"Eu criei quatro filhos com arma dentro de casa. Meus filhos nunca foram lá brincar com arma porque eu ensinei a todos eles o que ela significava”, declarou Lorenzoni. Segundo o ministro, é preciso ter "cuidado redobrado" com a arma.

De acordo com Onyx, um "compartimento com tranca" também será considerado seguro para guardar a arma. Na entrevista, questionado se a Polícia Federal terá de acreditar na "boa fé" do cidadão, o ministro disse que sim. "Ele [cidadão] diz que tem cofre em casa. Aí um dia tem assalto, a polícia vai lá e não tem cofre coisa nenhuma, não tem gaveta com chave. Nesses dois casos, dá o poder de tirar a arma e o certificado", explicou.

Leia também: Posse de armas: veja o que pode e o que não pode após decreto de Bolsonaro

Segundo o ministro, a Polícia Federal será “obrigada” a acreditar na declaração do cidadão que informar que tem cofre ou local seguro para guardar a arma. Onyx Lorenzoni  afirmou ainda que a Polícia Federal não tem efetivo para "ir na casa de todo mundo" fazer a fiscalização.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas