Tamanho do texto

Ex-presidente cita Chico Buarque em carta divulgada pelo PT e agradece apoiadores que fizeram confraternização de Réveillon: "Não me sinto só"

Luiz Inácio Lula da Silva teve prisão ordenada pelo juiz Moro após STF negar habeas corpus
Ricardo Stuckert/Instituto Lula - 22.3.18
Luiz Inácio Lula da Silva teve prisão ordenada pelo juiz Moro após STF negar habeas corpus

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou minutos antes da virada do ano mensagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos seus apoiadores. No texto, Lula volta a reclamar que foi "condenado sem provas e sem direito a um julgamento justo" e prega que os militantes do PT "não baixem a cabeça" pois 2019 "será um ano de muita resistência e muita luta".

Leia também: Bolsonaro toma posse hoje com esquema de segurança máxima; siga em tempo real

"Eles podem prender uma pessoa, como fizeram comigo, mas não podem encarcerar nossas ideias, muito menos impedir o futuro. 2019 será um ano de muita resistência e muita luta, para impedir que o nosso povo seja ainda mais castigado do que já foi. Nosso objetivo em 2019 deve ser a defesa do povo brasileiro", pregou Lula .

"Eu continuo tendo fé em Deus e no povo brasileiro. Não vamos baixar a cabeça nem deixar que tirem nossa alegria de viver e de batalhar por dias melhores. Nós sempre tivemos coragem de lutar e temos coragem de recomeçar. Como diz a canção do grande Chico Buarque: 'Amanhã vai ser outro dia'", continuou o ex-presidente.

Lula não cita em momento algum rivais políticos, como o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ou o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que o condenou enquanto juiz da Operação Lava Jato . Ainda assim, o petista faz críticas indiretas ao apontar caminhos que, teoricamente, seriam contrários aos de seus adversários.

"Precisamos retomar o caminho do desenvolvimento com inclusão social. E isso se faz com transferência de renda, com geração de empregos, com investimento público e privado; isso se faz tratando os trabalhadores e os mais pobres como solução e não como problema. [...] Isso só vai ser possível garantindo a democracia plena; em que seja livre o direito de organização, de manifestação e de expressão. Em que todos sejam reconhecidos como cidadãos e cidadãs. Em que se pratique a verdadeira Justiça, sem perseguição política, ódio ou preconceito."

Leia também: E agora, Temer? Ex-presidente perde foro e enfrentará ações na 1ª instância

"Não me sinto só. Não estou só", diz Lula

Gleisi Hoffmann foi única liderança do PT a comparecer à confraternização de Réveillon de Lula
Ricardo Stuckert
Gleisi Hoffmann foi única liderança do PT a comparecer à confraternização de Réveillon de Lula

O ex-presidente também agradeceu ao apoio das pessoas que estão na chamada ' Vigília Lula Livre ', acampamento armado próximo à sede da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista está preso. O grupo fez confraternização na noite desse dia 31 , mas a adesão foi menor que a esperada e, entre as lideranças do PT , a única a comparecer foi a presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann.

"Vou passar o Ano Novo numa cela em que fui preso sem ter cometido crime nenhum, condenado sem provas e sem direito a um julgamento justo. Mas não me sinto só. Não estou só", escreveu Lula . "De onde me encontro, posso ouvir e até mesmo imaginar as expressões de solidariedade e amor dos companheiros e companheiras que me acompanham nessa vigília pela democracia desde a noite de 7 de abril, quando fui ilegalmente encarcerado. É a vocês da Vigília Lula Livre que dirijo meu primeiro e mais profundo agradecimento nesta passagem de ano. Vocês são símbolo mais forte de uma corrente de solidariedade e clamor por justiça que se estende por todo o Brasil e ao redor do mundo."





    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas