Tamanho do texto

Militantes do PT organizaram caravanas para passar a virada do ano perto do ex-presidente, preso desde abril em Curitiba; Gleisi encabeça movimento

Caravanas de apoiadores do ex-presidente Lula começaram a chegar ontem a Curitiba
Ricardo Stuckert - 30.12.18
Caravanas de apoiadores do ex-presidente Lula começaram a chegar ontem a Curitiba

Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) realizam uma série de eventos ao longo desta segunda-feira (31) para celebrar a virada do ano em frente à sede da Polícia Federal em Curitba , onde o ex-presidente está preso desde abril.

De acordo com o PT e os organizadores da chamada 'Vigília Lula Livre', caravanas de todo o País começaram a chegar à capital paranaense no fim de semana para as comemorações, que terão atividades artísticas, ato inter-religioso e confraternização.

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffmann (PR), confirmou presença no evento, que deve contar ainda com outros parlamentares da legenda. Em mensagem de fim de ano divulgada nas redes sociais, Gleisi criticou a Operação Lava Jato e disse que a luta pela liberdade do ex-presidente é um dos principais desafios para 2019.

"Não é possível que Lula, aos 73 anos, ainda esteja preso em Curitiba por crimes que não cometeu. Essa Lava Jato, que foi iniciada com foco certo, desvirtuou no meio e passou a perseguir o PT e a perseguir Lula. Mais do que a solidariedade ao indivíduo Lula, ao nosso líder, ao nosso companheiro, é também a defesa de um símbolo do Brasil. Portanto, nós não vamos descansar", afirmou a petista.

Leia também: PF cumpre mandados contra grupo terrorista que ameaçou posse de Bolsonaro

O ex-presidente está preso já há 269 dias devido à condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso tríplex da Operação Lava Jato . Lula foi sentenciado a cumprir 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), responsável por revisar as decisões do até então juiz Sérgio Moro.

Em 2019, recursos do ex-presidente devem ser julgados tanto no Superior Tribunal de Justiça (STJ) quanto no Supremo Tribunal Federal (STF). Na mais alta Corte do País, além da análise de pedidos de habeas corpus apresentados pela defesa de Lula , também pode beneficiar o ex-presidente o julgamento da liminar expedida este mês pelo ministro Marco Aurélio , que mandou soltar todos os presos após condenação em segunda instância – tal como o petista.

    Leia tudo sobre: Lula

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.