Tamanho do texto

Além de ex-candidato à Presidência, economista foi presidente do Banco do Brasil na gestão Lula e ministro da Fazenda durante o governo Temer; agora, ele já é o sexto ex-ministro de Temer indicado para o secretariado do tucano

Henrique Meirelles aceitou integrar o secretaria de João Doria no governo do estado de São Paulo
José Cruz/Agência Brasil
Henrique Meirelles aceitou integrar o secretaria de João Doria no governo do estado de São Paulo

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), deve anunciar nesta terça-feira (11) o nome de Henrique Meirelles (MDB) para a Secretaria de Fazenda do Estado de São Paulo durante o seu governo. Isso porque, na manhã de hoje, o ex-ministro de Michel Temer aceitou o convite feito há alguns dias pelo futuro governador paulista. 

Com Henrique Meirelles , sobe para seis o  número de ex-ministros de Temer indicados para o secretariado de Doria. Antes dele, foram escolhidos Rossieli Soares, na Educação; Gilberto Kassab, na Casa Civil, e Sérgio Sá Leitão, na Cultura; Alexandre Baldy, para os Transportes Metropolitanos; e Vinícius Lummertz, para o Turismo.

Em novembro, o futuro governador de São Paulo já havia falado que considerava Meirelles o "secretário dos sonhos". "O ex-ministro é um dos nomes mais qualificados no País, sobretudo em sua área. É brilhante e meu amigo há muito tempo. [...] Eu diria que é o 'secretário dos sonhos' de qualquer governador do Estado", afirmou Doria.

Meirelles chegou a ser candidato à Presidência da República nas eleições de outubro, mas obteve apenas um pouco mais de 1% dos votos válidos na disputa, sendo eliminado para a disputa do segundo turno do pleito. 

Antes disso, Meirelles chegou a ser presidente do Banco Central, na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e, até o meio do ano, ocupava o cargo de ministro da Fazenda de Temer.

Leia também: Temer se vangloria por governo e pede torcida por "sucesso do governo Bolsonaro"

Ao todo, serão 20 secretários. Além dos ex-ministros de Temer, foram escolhidos o vice-governador eleito, Rodrigo Garcia, para a secretaria de governo, o General Campos (Segurança Pública), Marcos Penido (Energia, Saneamento e Recursos Hídricos), Paulo Dimas Mascaretti (Justiça), Célia Leão (Pessoa com Deficiência), Gustavo Diniz Junqueira (Agricultura), José Henrique Germann (Saúde), João Octaviano (Logística e Transporte), Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional), Flávio Amary (Habitação), Célia Parnes (Desenvolvimento Social), Patrícia Ellen (Desenvolvimento Econômico), Nivaldo Restivo (SAP) e Aildo Ferreira (Esportes).

Leia também: Em novembro, Doria já estudava chamar Meirelles para governo em SP: "É o secretário dos sonhos"

Com a indicação de Henrique Meirelles , Doria fecha a sua equipe de governo para 2019, que contará ainda com dois secretários extraordinários, Cleber Mata (Comunicação) e Julio Serson (Relações Internacionais e Invest SP). 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.