Tamanho do texto

Senador eleito pelo Rio de Janeiro pediu o impeachment de Pezão em 2016 e entende que governador preso deve ter o mesmo destino de Sergio Cabral

Flávio Bolsonaro espera que destino de Pezão seja o mesmo de Sérgio Cabral
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Flávio Bolsonaro espera que destino de Pezão seja o mesmo de Sérgio Cabral


Senador eleito pelo Rio de Janeiro e filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro não se mostrou surpreso com os envolvimentos Luiz Fernando Pezão com corrupção. Em entrevista ao jornal O Globo , o político declarou que espera que seja dado ao governador o mesmo destino de Sérgio Cabral.

Leia também: Primo de Getúlio e de Aécio, Francisco Dornelles assume o governo do Rio

“Havia um consenso nos bastidores de que isso iria acontecer. Mas ninguém esperava que a prisão fosse acontecer ainda dentro do mandato. Se Sérgio Cabral foi condenado a mais de 100 anos de prisão, tudo indica que o destino de Pezão será o mesmo”, disse Flávio Bolsonaro .

Como deputado estadual, Flávio Bolsonaro, que também é presidente do PSL no Rio de Janeiro, sempre foi a favor do impeachment do governador. Em 2016, chegou a discursar na tribuna da Alerj pedindo o impedimento de Pezão .

“Temos CPIs protocoladas importantíssimas para dar uma resposta à população. A CPI dos incentivos fiscais, o que aconteceu com esse dinheiro? E defendo aqui também que possamos criar uma comissão para analisar a questão do impeachment do governador. Não tem clima”, disse o deputado.

O discurso de Flávio Bolsonaro contra Pezão é antigo. Neste ano, durante as eleições, o senador eleito chegou a afirmar que Eduardo Paes (candidato do DEM ao governo) era a continuidade de Cabral e Pezão e, por isso, apoiava Wilson Witzel (PSC). Com o apoio do PSL e da família Bolsonaro, o juiz federal surpreendeu e mais do que passar para o segundo turno, foi eleito com mais de 59% dos votos.

Leia também: Witzel garante que a prisão de Pezão não vai afetar a transição de governo

Pezão foi preso na manhã desta quinta-feira (29) no Palácio das Laranjeiras, a apenas um mês do fim do seu mandato. O governador do Rio de Janeiro é acusado de elaborar um sistema próprio de propina e de fazer parte do esquema de corrupção que teve início durante o governo de Sérgio Cabral . A justificativa da PGR no epdido de prisão foi a de que o político poderia  esconder documentos com provas de seu envolvimento após deixar o mandato.

No mesmo dia da prisão do governador do Rio, o senador eleito usou seu twitter para declarar que queria o impeachment de Pezão.

“Desde 2016 alerto para as consequências da corrupção e incompetência do governador Pezão, sendo eu um dos primeiros deputados a defender seu impeachment”, escreveu Flávio Bolsonaro .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.