Tamanho do texto

Filho do presidente eleito Jair Bolsonaro foi o deputado mais votado do País e afirma que o grande número de votos foi "graças ao trabalho" do seu pai

Um dos filhos do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara dos Deputados
Reprodução/Câmara dos Deputados
Um dos filhos do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara dos Deputados

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, assumiu, na última terça-feira (30), o cargo de líder do PSL na Câmara dos Deputados. Eduardo Bolsonaro vai cumprir o seu segundo mandato como deputado e, nas eleições de 2018, foi o candidato mais votado do País. 

Leia também: STF tenta intimar Eduardo Bolsonaro há 23 dias por ameaça a jornalista

Eduardo Bolsonaro, novo líder do PSL na Câmara, conquistou 1.843.735 votos nestas eleições, sendo 8,74% dos votos válidos de São Paulo, o maior colégio eleitoral do País, com mais de 33 milhões de pessoas aptas a votar. 

“Tive essa votação expressiva graças, principalmente, ao trabalho de Jair Bolsonaro ”, diz Eduardo, que é o terceiro filho do presidente eleito. O deputado divide a herança política do pai com mais dois irmãos, Flávio Bolsonaro, deputado estadual que foi eleito senador pelo Rio de Janeiro, e Carlos Bolsonaro, vereador há 18 anos pelo Rio de Janeiro. 

Para o deputado, o resultado nas urnas deste ano revela um desejo de mudança. “Esse é o recado de combate à corrupção, de apoio à Lava Jato, de apoio às pautas de segurança, como a redução da maioridade penal, o resgate da legítima defesa, que propicia o acesso ao armamento para o cidadão que conseguir suprir os requisitos”, disse Eduardo Bolsonaro . “Todas aquelas pautas que o Jair Bolsonaro defendeu durante a eleição”, afirmou.

Leia também: "Basta um soldado e um cabo para fechar STF", disse filho de Bolsonaro em vídeo

Em seu primeiro mandato, de 2015 a 2019, o deputado foi autor de cerca de 40 propostas e relatou outras 16 proposições, que estão em tramitação na Câmara. “A gente chega aqui como pato novo, mas eu tive a sorte e o privilégio de trabalhar ao lado do meu pai”, afirmou.

No próximo mandato, Eduardo disse que quer levar para votação projetos na área econômica e, principalmente, de segurança pública. “Ainda que não sejam aprovados, as pessoas vão ficar sabendo como cada deputado votou. Assim vão poder ter uma noção se ele está ou não respeitando o voto que recebeu”, disse.

Leia também: PF pode investigar fala de filho de Bolsonaro sobre 'fechar o STF', diz ministro

O novo líder do PSL  é formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e já foi escrivão da Polícia Federal entre 2010 e 2015. “Se fosse da vontade popular, voltaria para a Polícia Federal sem problema nenhum. Felizmente, eu obtive essa votação que dá muita moral dentro da Câmara e também muita responsabilidade”, afirmou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.