Tamanho do texto

Coordenadores de governo de transição terão reunião nesta quarta-feira (31) para discutir o período que Bolsonaro acredita ser "tranquilo"; entenda

Onyx Lorenzoni e Padilha terão primeira reunião do governo de transição nesta quarta-feira; veja como será o período
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Onyx Lorenzoni e Padilha terão primeira reunião do governo de transição nesta quarta-feira; veja como será o período

Os coordenadores do governo de transição terão sua primeira reunião, nesta quarta-feira (31), em Brasília. Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil do governo Michel Temer (MDB), deve se reunir com o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM) – futuro ministro da área e nomeado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para a primeira reunião do governo de transição. 

Leia também: Núcleo militar envia a Bolsonaro lista com 25 nomes para cargos de transição

Na próxima terça-feira (6), Bolsonaro deve desembarcar em Brasília para ter uma reunião do governo de transição com Temer, pessoalmente, e dar orientações à sua equipe. Ele afirma que quer encontrar o atual presidente para agradecer o apoio que está recebendo. Disse também que está confiante de que o período de transição será tranquilo.

Bolsonaro já anunciou que pretende reduzir de 29 para 15 ou 16 o número de ministérios, com a fusão de alguns deles. Será criado o superministério da Economia, unindo Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio, com a nomeação do economista Paulo Guedes como ministro. 

Também foi confirmada a união entre os ministérios da Agricultura e Meio Ambiente, iniciativa que conta com a rejeição dos ambientalistas. Ainda não há resposta sobre a possível fusão dos ministérios da Educação e da Cultura.

Leia também: Bolsonaro confirma fusão dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente

"O presidente já tem uma lista de nomes [de ministros] e está fazendo a definição final. Acredito que, nos próximos dias, Bolsonaro deva liberar mais alguns nomes. Na segunda-feira, o presidente, depois de tomar decisão, vai nos permitir divulgar toda a estrutura"  informou Lorenzoni nessa terça-feira (30). 

Também ontem, Bolsonaro se reuniu com assessores no Rio de Janeiro para definir as prioridades neste primeiro momento, além de revelar alguns nomes que vão compor sua futura equipe. Com a posse marcada para o dia 1º de janeiro, ele quer acelerar alguns temas, como a reforma da Previdência, que já está em curso no Congresso Nacional, e anunciou que pretende fazer alterações. 

Leia também: Bolsonaro quer reforma radical na Previdência e deve descartar proposta de Temer

A primeira reunião do governo de transição acontece hoje e, segundo o presidente eleito, a intenção é aprovar tudo o que for possível ainda neste ano, agilizando algumas medidas e evitando problemas. Bolsonaro também anunciou que pretende começar os projetos de privatização de estatais.

* Com informações da Agência Brasil.