Tamanho do texto

Candidato do PSL derrotou ontem o petista Fernando Haddad nas urnas, com 55% dos votos válidos; Padilha vai coordenar processo de transição

Primeiro dia de Bolsonaro como presidente eleito deverá ser tranquilo e de descanso em sua casa, ao lado da esposa
Divulgação/PSL
Primeiro dia de Bolsonaro como presidente eleito deverá ser tranquilo e de descanso em sua casa, ao lado da esposa

O presidente eleito Jair Bolsonaro deve ficar em casa, nesta segunda-feira (29), o primeiro dia depois que a sua vitória no segundo turno das eleições 2018 foi anunciada. O candidato do PSL – que derrotou o candidato do PT, Fernando Haddad, com 55,13% dos votos válidos nas eleições deste domingo (28) – vai tirar o dia para descansar. O primeiro dia de Bolsonaro como presidente eleito, porém, já será marcado pelo início da transição do governo Temer.

Leia também: Bolsonaro diz que "missão não se escolhe, se cumpre" em primeiro discurso eleito

A equipe de Temer afirmou, logo após o resultado das eleições, que o processo de transição entre governos será de “transparência total” e que começará logo no primeiro dia de Bolsonaro como futuro presidente. O governo Bolsonaro receberá do antecessor informações sobre os ministérios relacionados às ações dos últimos dois anos e o que está em andamento, como contratos em vigor, obras iniciadas e orçamento já previsto.

Para comandar tal processo de transição , Temer destacou de seu governo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O processo de transição entre o governo atual e o eleito é disciplinado pela Lei 10.609, de 2002, e pelo Decreto 7.221, de 2010.

A legislação obriga o repasse das informações solicitadas pelo novo governo, além de possibilitar a criação de 50 cargos de caráter temporário, chamados Cargos Especiais de Transição Governamental, para os indicados do futuro presidente. Esses cargos poderão ser ocupados a partir de terça-feira (30) e devem ficar vagos até o dia 10 de janeiro.

Bolsonaro, por sua vez, ficará em casa hoje, assim como o fez desde que foi vítima de um atentado a faca durante um evento de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. O candidato do PSL só saiu de casa em momentos específicos, como nos dias de votação, no primeiro e no segundo turno. 

Com sua vitória, Bolsonaro interrompeu um ciclo que vinha desde 2002, em que o PT sempre saía na frente no segundo turno das eleições. Jair Bolsonaro foi confirmado o  38º presidente do Brasil às 19h18 deste domingo, quando, com 94,44% das seções apuradas, Bolsonaro alcançou 55.205.640 votos (55,54% dos válidos) e não podia mais ser ultrapassado por Haddad, que naquele momento somava 44.193.523 (44,46%).

Com 100% das seções apuradas, Bolsonaro recebeu 57.797.073 votos (55,13%) e Haddad, 47.039.291 (44,87%). A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, anunciou, por volta das 20h10, que Bolsonaro estava matematicamente eleito.

Leia também: Analistas preveem dificuldades na relação entre Bolsonaro e o Congresso

O primeiro dia de Bolsonaro eleito, porém, será de ressaca para alguns eleitores, dado que, após o anúncio da vitória do candidato do PSL, houve comemoração, buzinaços e o disparo de fogos de artifício em diversas cidades pelo País. No Rio de Janeiro, muitos eleitores se reuniram na frente do condomínio onde o presidente eleito vive, para celebrar o resultado das eleições 2018.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.