Tamanho do texto

Cotado para ser ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni afirmou ainda que defende que a reforma da Previdência seja feita apenas no ano que vem

Como quando o Brasil ganhou na Copa do Mundo, grupos vestindo verde e amarelo se reuniram em diferentes lugares
Tânia Regô/AgenciaBrasil 28.10.2018
Como quando o Brasil ganhou na Copa do Mundo, grupos vestindo verde e amarelo se reuniram em diferentes lugares

Como se estivessem numa onda verde e amarela, diversos apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), saíram às ruas neste domingo (28), para defender a eleição do candidato do PSL. Após a declaração de sua vitória, os grupos de apoiadores ficaram ainda maiores, e a comemoração com as cores da bandeira brasileira se estendeu por horas, como quando o Brasil ganhou a Copa do Mundo, em 2002.  

Leia também: Analistas preveem dificuldades na relação entre Bolsonaro e o Congresso

E foi exatamente essa a comparação que o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM) – cotado para ser ministro-chefe da Casa Civil do governo Bolsonaro – fez nesta segunda-feira (29). "Parece que o Brasil ganhou a Copa do Mundo ", comenta ele, sobre o amanhecer do primeiro dia de Jair Bolsonaro eleito o 38º presidente do Brasil. 

Em entrevista à rádio CBN , nesta manhã, Lorenzoni afirmou ainda que a reforma da Previdência deve ser feita apenas no ano que vem, quando Bolsonaro assumir a Presidência . Para ele, o que foi proposto pelo governo Temer foi um remendo com o objetivo de fazer um ajuste curto de caixa e não duraria cinco anos.

Leia também: Bolsonaro diz que "missão não se escolhe, se cumpre" em primeiro discurso eleito

"Eu defendo que ele [Bolsonaro] faça [a reforma] uma única vez quando já for o presidente. Algo que dure 30 anos", afirmou o futuro ministro do presidente eleito. 

Onyx Lorenzoni  tem se debruçado, nos últimos dias, antes mesmo da conclusão da eleição, a estudar as orientações para o trabalho de transição. Há dois dias, chegou a se reunir com o ministro Eliseu Padilha a fim de levantar informações sobre a estrutura administrativa do governo. 

Além disso, o futuro  ministro de Bolsonaro  tem se empenhado em tentar convencer o presidente eleito a permanecer mais alguns dias no Rio de Janeiro. Isso porque Bolsonaro queria viajar para Brasília logo que fosse eleito. 

Leia também: Em discurso, Haddad promete coragem: "Verás que um professor não foge à luta"

Ao dizer que parece que o Brasil ganhou a Copa do Mundo , Lorenzoni se prende à festa, mas o futuro ministro de Bolsonaro sabe que vai ter muito trabalho pela frente.