Tamanho do texto

Além dos policiais federais e militares que já trabalharam no primeiro turno, foram enviados mais de 20 militares do 11º Batalhão de Polícia do Exército

Jair Bolsonaro estava acompanhado da esposa e não entrou na escola pela frente, mesmo com segurança reforçada
Tânia Regô/Agência Brasil 28.10.2018
Jair Bolsonaro estava acompanhado da esposa e não entrou na escola pela frente, mesmo com segurança reforçada

Com segurança reforçada neste segundo turno , o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro votou na manhã deste domingo (28) por volta das 9h da manhã. Por recomendação da Polícia Federal, o candidato usou colete à prova de bala.

Leia também: Começa a votação do 2º turno; 13 estados e DF escolherão governador

Jair Bolsonaro chegou acompanhado da esposa, Michele Bolsonaro, na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, Rio de Janeiro, e entrou pela entrada de trás da seção eleitoral. O candidato votou de forma rápida e não conseguiu manter muito contato com simpatizantes que estiveram no local.  "A expectativa é a que ouvi das ruas ao longo dos últimos meses, a de vitória", disse Bolsonaro dentro da seção.

Na hora de deixar a escola, tentou sair pela entrada principal, onde eleitores o aguardavam. Porém, após acenar para apoiadores, um tumulto começou a se formar, e o candidato voltou para a área interna do colégio. Da mesma forma que entrou, saiu pelos fundos com forte escolta policial. Já no carro, o candidato abriu a porta, ficou de pé, agradeceu o apoio aos eleitores e fez sinal de coração.

Leia também: Haddad vota sob clima de esperança em SP: "Vamos lutar até o último minuto"

Segurança para Jair Bolsonaro é reforçada

Eleitor é revistado no colégio eleitoral de Jair Bolsonaro, onde a segurança foi reforçada neste segundo turno
Reprodução/Destak
Eleitor é revistado no colégio eleitoral de Jair Bolsonaro, onde a segurança foi reforçada neste segundo turno

A segurança na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, Rio de Janeiro, foi reforçada neste segundo turno das eleições por ser o local de votação do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro.

Além dos policiais federais e militares que já trabalharam no local no primeiro turno, também foram deslocados mais de 20 militares do 11º Batalhão de Polícia do Exército na entrada da escola.

Eleitores foram revistados, cães farejadores da Polícia Federal vasculharam o interior da escola, e grades foram colocadas na entrada para separar jornalistas e curiosos do candidato. No primeiro turno, Bolsonaro só conseguiu entrar na escola com a ajuda de um cordão de isolamento humano feito por agentes de segurança.

Leia também: Presidente Michel Temer vota em São Paulo e diz que "transição será tranquila"

Também diferentemente do primeiro turno, quando todos profissionais de imprensa credenciados tiveram acesso ao interior do local de votação, desta vez apenas 30 cinegrafistas e fotógrafos foram selecionados pela Justiça Eleitoral por meio de sorteio para acompanhar o voto do candidato Jair Bolsonaro .

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.