Tamanho do texto

Ciro prefere não tomar lado porque “não pode ajudar e nem quer atrapalhar”

Apoio de Ciro Gomes no segundo turno ficou indefinido porque presidenciável não quis declarar seu voto
Reprodução
Apoio de Ciro Gomes no segundo turno ficou indefinido porque presidenciável não quis declarar seu voto

O apoio de Ciro Gomes (PDT) era esperado pelo PT e simpatizantes após o presidenciável voltar de uma viagem pela Europa nessa sexta-feira (26).

Leia também: Após pedido da equipe de Bolsonaro, TSE chama partidos para apuração

Em vídeo neste sábado (27), porém, não ficou claro para quem vai o apoio de Ciro Gomes no segundo turno, mesmo o PDT tendo assumido uma postura de " apoio crítico " ao PT.

Desde que o resultado do primeiro turno foi anunciado, Ciro falou pouco com a imprensa. O presidenciável, que teve 13 milhões de votos no primeiro turno, se posicionou imediatamente contra a candidatura de Bolsonaro , mas em fala um dia antes do segundo turno decidiu não revelar seu voto.

Falta de apoio de Ciro Gomes

Apoio de Ciro Gomes era esperado pelo PT e simpatizantes, mas presidenciável decidiu não tomar um lado
Heloisa Cristaldo/Agência Brasil
Apoio de Ciro Gomes era esperado pelo PT e simpatizantes, mas presidenciável decidiu não tomar um lado

Na tarde deste sábado (27), Ciro compartilhou vídeo de aproximadamente dois minutos em sua página no Instagram. Nele, fala sobre “grave preocupação com o país e o futuro”, mas afirma preferir não tomar um lado porque “não pode ajudar e nem quer atrapalhar”.

Leia também: Atos em favor aos candidatos à Presidência ocorrem pelo país

“Eu quero que Deus abençoe essa grande nação para que todo mundo possa caminhar amanhã para votar. Votar compreendendo a necessidade de votar com a democracia, votar contra a intolerância, votar pelo pluralismo.

“Mas também ninguém está obrigado a votar contra convicções e ideologias. Claro que todo mundo prefiria que eu, com meu estilo, tomasse um lado e participasse da campanha, mas eu não quero fazer isso por uma razão muito prática que eu não quero dizer agora porque, se eu não posso ajudar, atrapalhar é o que não quero.

"Mas o que precisa para o Brasil a partir de segunda-feira é que a gente construa um grande movimento que de um lado proteja a democracia brasileira, de outro lado proteja a nossa sociedade mais pobre dos avanços contra os direitos, que se proteja os interesses nacionais contra a entrega e a cobiça estrangeira.”

Leia também: Barbosa declara voto em Haddad e afirma que Bolsonaro lhe "inspira medo"

O vídeo que mostra que o apoio de Ciro Gomes não ficou claro é encerrado com ele afirmando que “dias terríveis estão se aproximando”. “Vou estar na linha de frente com vocês”, encerra o político.