Tamanho do texto

Na capital paulista, petista tem 51% das intenções de voto, segundo o último levantamento do instituto; pela tarde, Haddad viajou para agenda em Recife

Para o segundo turno, petista tem buscado alianças; campanha de Haddad em SP foi intensa desde o primeiro turno
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 11.10.18
Para o segundo turno, petista tem buscado alianças; campanha de Haddad em SP foi intensa desde o primeiro turno

O candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT) participou de mais compromissos na capital paulista, na manhã desta quinta-feira (25). Lotada nas semanas anteriores ao segundo turno das eleições, a agenda de campanha de Haddad em SP vem sendo intensa, o que pode ter se refletido nos resultados da última pesquisa Ibope, divulgada nesta quarta-feira (24).  

De acordo com o levantamento, Haddad melhorou seu desempenho na capital paulista , onde ele foi prefeito entre 2013 e 2016. O petista, que antes era apontado como candidato de 47% dos eleitores da capital, contra 53% de Jair Bolsonaro, lidera agora na cidade com 51%. A melhora da campanha de Haddad em SP , porém, não reflete o resultado nacional, em que o petista aparece com apenas 43% das intenções de voto, frente aos 57% de Bolsonaro. 

Em seus últimos compromissos antes de viajar para agendas no Nordeste , Haddad se encontrou com a ex-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla, que é chefe da missão da Organização dos Estados Americanos (OEA). O encontro durou pouco mais de 40 minutos. 

Chinchilla está no País para acompanhar o processo eleitoral brasileiro. Ao deixar a reunião com o petista, a costa-riquenha disse que recebeu do candidato um conjunto de denúncias com temas de violência política, conteúdo falso, funcionamento da urna eletrônica e financiamento de campanha eleitoral . E, à imprensa, afirmou que vai acompanhá-las.

Leia também: Ex-presidente do PSDB, Alberto Goldman declara voto em Fernando Haddad

Depois da reunião com a OEA, Haddad disse que o documento que entregou a Chinchilla falava sobre a influência de notícias falsas nas eleições e a respeito do suposto financiamento ilegal de campanha do seu adversário na disputa, Jair Bolsonaro (PSL), o chamado "caixa dois" do candidato do PSL. 

"O que nós pedimos a eles é para, nessa reta final, tentar observar com bastante atenção o que pode acontecer até domingo", afirmou. "Se a gente conseguir evitar aquela avalanche de notícias falsas que circularam entre sexta e domingo do primeiro turno, acho que essa onda de virada que o Brasil está vivendo, vivemos em São Paulo aqui na cidade e esperamos viver no Sudeste, a gente pode chegar a um bom resultado eleitoral", afirmou Haddad.

Pela tarde, o candidato do PT viajou para uma agenda em Recife, retornando ao Nordeste, onde foi bem no primeiro turno. Na capital de Pernambuco, Haddad fez campanha pelas ruas do centro da cidade.

Leia também: "Precisamos abraçar a periferia", diz Haddad após duras críticas de Mano Brown

Mas a campanha de Haddad em SP ainda não terminou. É previsto que o petista retorne a São Paulo no próximo sábado (27), quando participará de uma agenda em Heliópolis, comunidade periférica, localizada na zona sul da capital.