Tamanho do texto

Comício no Centro do Rio foi marcado por um discurso crítico do rapper, que foi defendido por Caetano Veloso; candidato do PT fala em mais diálogo

Evento em que Mano Brown critica o PT foi marcado também pela presença de aliados a Haddad, como Caetano e Chico
Reprodução/Instagram
Evento em que Mano Brown critica o PT foi marcado também pela presença de aliados a Haddad, como Caetano e Chico

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, participou de um comício na noite desta terça-feira (23), na Lapa, no centro do Rio. O evento foi marcado pela presença de artistas aliados do petista, como o rapper Mano Brown e os cantores Caetano Veloso e Chico Buarque. No meio do comício, porém, Mano Brown critica o PT. 

O discurso de Brown é feito com base no que ele chama de "erro de comunicação". Para ele, o partido de Fernando Haddad pode perder as eleições presidenciais deste ano porque "não está conseguindo falar a língua do povo". Mano Brown critica o PT assim como já fez o irmão de Ciro Gomes, Cid Gomes, com o microfone na mão, frente a uma multidão de militantes

"A comunicação é a alma. Se não está conseguindo falar a língua do povo vai perder mesmo. Falar bem do PT para a torcida do PT é fácil. Tem uma multidão que não está aqui que deveria ser conquistada", afirmou o rapper. "Se nós somos o Partido dos Trabalhadores, o partido do povo tem que entender o que o povo quer. Se não sabe, volta para a base e vai procurar saber".

Durante seu discurso, Mano Brown foi vaiado, mas prosseguiu com as críticas, dizendo que não era "tempo de festa" para os apoiadores do PT. Alguns militantes chegaram a saudar as declarações do rapper, concordando com o chamado à auto-crítica. Um deles foi o cantor Caetano Veloso, que saiu em defesa de Brown.

"Eu acho que a fala de Mano Brown é muito importante porque traz a complexidade do nosso momento. A mera festa pode parecer que temos uma mensagem simples a passar", afirmou. "O Brasil tem sido bombardeado há algumas décadas por uma imbecilização planejada em que filósofos têm dito palavrões para acostumar a mente brasileira à ideia de que o cafajeste é que nos representa. Temos que negar isso dentro de nós", continuou. 

Leia também: Mano Brown faz discurso crítico ao PT durante comício de Haddad e é vaiado

No fim do ato, o candidato Fernando Haddad fez o seu discurso e aproveitou para citar as críticas de Mano Brown ao PT . Para ele, a fala do rapper é "muito importante" e "séria". E, a partir dela, o candidato sugeriu uma reaproximação com a periferia. 

"Eu compreendo, entendo e respeito o que disse o Mano Brown . Respeito muito. Primeiro porque ele veio aqui. Ter vindo aqui tem um significado muito importante. O que ele disse é sério. Tem irmãos e irmãs nossos que estão na periferia revoltados com tudo que está acontecendo e com razão", afirmou.

"Nós precisamos dar razão às pessoas para conquistar as pessoas. Não estou falando dos coxinhas que sempre nos odiaram – estou falando das pessoas estão revoltadas porque estão desempregadas, que deixaram a universidade porque não têm como se manter", continuou. "Porque saem de casa procurando um destino, procurando um trabalho e não encontram", disse Fernando Haddad .

E encerrou lembrando o prazo curto que o PT tem para retomar tal comunicação: "Essas pessoas, nós precisamos abraçar daqui para domingo. Nós precisamos sentar para conversar. Nós precisamos dialogar - eles não são nossos inimigos".

Leia também: Bolsonaro tem 57% e Haddad, 43%, diz Ibope

Enquanto Mano Brown critica o PT em pleno ato pró-Haddad, internautas saíram em defesa do rapper nas redes sociais. Haddad, em seu Twitter, publicou: "O Mano Brown tem toda razão. Precisamos voltar pra periferia de coração aberto porque a periferia não votou com a gente no primeiro turno. Vamos voltar para a base pra governar o Brasil com a base, como sempre fizemos".

Assista ao vídeo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.