Tamanho do texto

Durante ato em São Luís (MA), candidato anunciou plano de ajustar em 20% pagamento do Bolsa Família e chamou Bolsonaro de "soldadinho de araque"

Fernando Haddad prometeu medida para redução no preço do gás; valor máximo é de R$ 49
Ricardo Stuckert - 20.10.18
Fernando Haddad prometeu medida para redução no preço do gás; valor máximo é de R$ 49

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, anunciou neste domingo (21) promessa de redução do preço do gás de cozinha e de reajustar em 20% os pagamentos do programa Bolsa Família.

A proposta para redução do preço do gás , que hoje é vendido por valores que flutuam entre R$ 70 e R$ 120 (de acordo com levantamento semanal da ANP ), foi anunciada pelo presidenciável durante ato de sua campanha em São Luís, no Maranhão.

"Nós falamos muito no preço do gás e do Bolsa Família na campanha. Eu quero dizer pra vocês que, a partir de janeiro, nós vamos tomar uma medida que, em nenhum lugar do País, o gás poderá custar mais do que R$ 49", afirmou o petista.

Sobre o Bolsa Família , Haddad disse que haverá acréscimo de 20% nos pagamentos a serem feitos já a partir de janeiro (mês em que o próximo presidente tomará posse). "As pessoas estão sofrendo muito. Então a família que hoje ganha R$ 200, a partir de janeiro vai ganhar R$ 240", anunciou o candidato, acrescentando que as medidas foram discutidas com sua equipe econômica e com a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann.

Leia também: Plano de governo define voto de 15% dos eleitores de Haddad e 12% de Bolsonaro

Além de falar em redução do preço do gás, Haddad tambéma taca Bolsonaro

Para o segundo turno, Fernando Haddad tem buscado alianças e alterado programa para superar Bolsonaro
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 11.10.18
Para o segundo turno, Fernando Haddad tem buscado alianças e alterado programa para superar Bolsonaro

O candidato também usou seu palanque na capital maranhense para atacar seu adversário no segundo turno das eleições, Jair Bolsonaro (PSL), classificado pelo petista como "soldadinho de araque".

"Eu não acho que ele honra a farda que já vestiu um dia. Em 28 anos como deputado federal, eu desafio alguém aqui que saiba dizer o que ele fez. Foram 28 anos recebendo salário do povo e ninguém sabe o que ele fez. Aliás, eu sei: ele só vomitou violência contra o povo, contra o negro, contra a mulher, contra o nordestino", protestou o candidato, reforçando o convite para que seu adversário participe de debates.

Leia também: Mulheres fazem ato pelo país contra Jair Bolsonaro e pela democracia

O petista também criticou a proposta de Bolsonaro para liberar o porte de arma para a população. "Quem tem que prover a segurança pública é a polícia. Não é o cidadão com arma na rua", disse, projetando também uma "virada" na corrida presidencial. "A gente está com a cabeça virada, mas o Nordeste está dando uma resposta. Se a gente ganhar um ponto por dia, é só isso, a gente vira a eleição e vamos subir a rampa do Planalto juntos".

Haddad está desde ontem no Nordeste do País , tendo percorrido cidades do Ceará e do Piauí até desembarcar no Maranhão. Trata-se da primeira viagem de campanha do petista no segundo turno para fora dos estados do Sudeste, onde está seu comitê. Antes, o petista que agora promete redução do preço do gás só havia deixado sua base para ir a Curitiba (PR) visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso por conta de condenação na Lava Jato.