Tamanho do texto

Encontro está previsto para às 19h30, em Brasília, e tem como objetivo discutir a divulgação de notícias falsas durante as campanhas eleitorais

TSE sediará reunião com equipes dos presidenciáveis para discutir a disseminação de notícias falsas durante a eleição
Arquivo/Agência Brasil
TSE sediará reunião com equipes dos presidenciáveis para discutir a disseminação de notícias falsas durante a eleição

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, remarcou para esta quarta-feira (17) a reunião com os coordenadores de campanha dos candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) para discutir o problema da disseminação de notícias falsas durante a eleição, especialmente nas redes sociais. 

Leia também: Três em cada quatro eleitores temem ser influenciados por fake news

O encontro está previsto para às 19h30, em Brasília. O TSE chamou os dois partidos para assinarem um acordo e agora tenta conseguir um pacto entre os dois candidatos para que evitem as notícias falsas durante a eleição , as chamadas fake news , em inglês . O Tribunal também reforçou a equipe que monitora essa prática que, para os ministros, pode afetar a credibilidade do processo eleitoral.  

O candidato do PT, Fernando Haddad, propôs um acordo com o adversário para evitar as fake news , mas Bolsonaro recuou. “O pau mandado de corrupto me propôs assinar ‘carta de compromisso contra mentiras na internet’. O mesmo que está inventando que vou aumentar imposto de renda pra pobre. É um canalha! Desde o início propomos isenção a quem ganha até R$ 5.000. O PT quer roubar até essa proposta.” disse o candidato em seu Twitter.

Na semana passada, a coligação "O Povo Feliz de Novo", de Fernando Haddad, solicitou a retirada de 222 conteúdos com informações supostamente inverídicas ou difamatórias em redes sociais como Twitter e Facebook. Um dos ministros do TSE, Carlos Horbach, permitiu a retirada de apenas uma postagem. Em decisão anterior, Horbach já havia determinado a retirada de informações falsas disseminadas pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro.

Leia também: Haddad busca apoio de ex-rivais e pede pacto contra notícias falsas na internet

Redes sociais se comprometem a combater notícias falsas durante a eleição 


O facebook criou uma nova ferramenta de denúncia para diminuir a disseminação de notícias falsas durante a eleição
Reprodução/Facebook
O facebook criou uma nova ferramenta de denúncia para diminuir a disseminação de notícias falsas durante a eleição

Nessa terça-feira (16), o Conselho Consultivo para notícias falsas do TSE realizou uma reunião com representantes do Whatsapp com o objetivo de discutir formas de garantir o alcance de respostas diante da divulgação de notícias falsas dentro da rede social. Segundo o vice-procurador eleitoral, Humberto de Medeiros, o WhatsApp se propôs a disponibilizar ferramentas ao TSE,  já adotadas por agências de checagem. 

Leia também: Ministro do TSE manda retirar informações falsas sobre Haddad do ar

O Facebook também anunciou, nessa terça (16), que está ampliando as medidas para combater fake news . A rede social anunciou uma nova ferramenta de denúncia para que os usuários da plataforma possam informar sobre casos de informação falsa durante a eleição. O problema das notícias falsas durante a eleição  entrou na agenda do TSE desde o início da preparação do processo eleitoral. 

* Com informações da Agência Brasil.