Tamanho do texto

Vereador afirmou que o apoio de David Duke, ex-líder do KKK, ao candidato do PSL é incoerente, já que organização teria "semelhanças com a esquerda"

Fernando Holiday sai em defesa do candidato Jair Bolsonaro e diz que a KKK tem 'semelhanças com a esquerda'
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Fernando Holiday sai em defesa do candidato Jair Bolsonaro e diz que a KKK tem 'semelhanças com a esquerda'

O vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM), que é também um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), gravou um vídeo e fez uma série de publicações em suas redes sociais, na manhã desta quarta-feira (17), em defesa do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. 

Leia também: Bolsonaro tem maioria com mulheres e negros, aponta pesquisa Ibope

No conteúdo compartilhado, Fernando Holiday diz que o grupo racista Ku Klux Klan (KKK) possui "semelhanças com a esquerda de Fernando Haddad", candidato do PT à Presidência. Sua declaração é dada em defesa de Bolsonaro, depois que a imprensa nacional divulgou que o historiador americano David Duke – reconhecido líder da KKK nos Estados Unidos – teria elogiado o candidato do PSL, durante um programa de rádio.

"O apoio da KKK a Jair Bolsonaro é uma carapuça que a esquerda não encaixa nele, porque as semelhanças com a esquerda de Fernando Haddad são maiores. Ambos condenam Israel. Ambos pregam a divisão de um país. Ambos têm origens em partidos Socialistas. Ambos são das sombras", escreveu o vereador do DEM.

Leia também: Bolsonaro será investigado por acusação de racismo contra Preta Gil

"David Duke, o ex-KKK, na década de 1960, pertenceu ao Partido Nacional Socialista da América. E os ideais de 'igualdade' que pregavam são muito parecidos com os ideais fundantes do petismo e dos partidos que o apoiam", continou o líder do MBL. 

A KKK nasceu nos Estados Unidos em 1865. Utilizando capuzes brancos, os membros da organização torturavam e assassinavam negros, tendo como um dos seus símbolos uma cruz em chamas. Atualmente, o grupo racista tornou-se expressão do neonazismo norte-americano e uma referência à chamada "supremacia branca".

Em sua declaração, David Duke disse que Bolsonaro era um nacionalista que ' soava como a KKK' . "Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista", disse o ex-líder do  Ku Klux Klan , conforme reportado pela rede  BBC . "Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França", afirmou o ex-líder do KKK.

Depois de ter saído em defesa de Bolsonaro,  Fernando Holiday se tornou alvo de uma série de críticas nas redes sociais. Parte dos comentários levavam em conta o fato de que Holiday é negro, ou seja, faz parte dos grupos condenados pela KKK. Outros internautas, porém, defenderam o vereador, afirmando que seus argumentos contra a esquerda estariam corretos.