Tamanho do texto

Presidente acredita que é "normal" haver divergências políticas durante esse período, mas criticou os episódios de violência ocorridos nos últimos dias

Michel Temer disse ainda que está se divertindo com as brincadeiras feitas na internet, cujo mote é a frase
Cesar Itiberê/PR/Agência Brasil
Michel Temer disse ainda que está se divertindo com as brincadeiras feitas na internet, cujo mote é a frase "Fica Temer", em alusão às incertezas sobre o resultado das eleições.

Aos pés do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, durante uma missa em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, o presidente Michel Temer (MDB) disse que o Brasil está dividido por causa das eleições. Ele acredita, no entanto, que essa divisão entre os brasileiros será superada assim que terminar o período eleitoral.

Leia também: MDB declara neutralidade no 2º turno e aumenta lista de partidos "imparciais"

"Temos de ter a compreensão de que a eleição é um momento político-eleitoral. Logo depois vem o momento político-administrativo. No momento político-eleitoral, é natural que haja divergência", afirmou Michel Temer . "O que não pode haver é violência. Tenho absoluta convicção de que, passado esse momento, após a eleição o Brasil estará reunificado".

Em entrevista concedida à imprensa nesta sexta (12) logo após a missa, o presidente disse ainda que se preocupa com episódios de violência ocorridos durante a eleição.

"É claro que toda vez que se fala em violência temos de nos preocupar. Por isso, precisamos combatê-la como estamos fazendo todos", acrescentou. O emedebista disse ainda que está se divertindo com as brincadeiras feitas na internet, cujo mote é a frase "Fica Temer", em alusão às incertezas sobre o resultado das eleições .

Leia também: 'Dispenso votos de quem pratica violência contra a oposição', diz Bolsonaro

Na missa,  Michel Temer adotou um tom conciliador. "Quando se conta que Nossa Senhora Aparecida foi encontrada para depois encontrar-se a sua outra parte, eu percebo que isso serve como uma simbologia extraordinária para verificar que nada no Brasil se fraturará", comparou. "Se houver uma tentativa de fratura, nós todos vamos colar essa fraturas de modo que tenhamos uma imagem do Brasil inteiramente costurada".


*Com informações da Agência Brasil