undefined
Jefferson Rudy/Agência Senado
Senador Romero Jucá comunicou em entrevista coletiva nesta quinta-feira (11) em Brasília que MDB também vai optar pela neutralidade no 2º turno da eleição presidencial entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)

O presidente do MDB, senador Romero Jucá (RR), anunciou nesta quinta-fera (10) que o partido também decidiu não apoiar nem o candidato do PT, Fernando Haddad, nem o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, e optar pela neutralidade no 2º turno das eleições presidenciais de 2018.

Leia também: Rede recomenda 'nenhum voto' a Bolsonaro, mas não declara apoio a Haddad

A decisão comunicada durante uma entrevista coletiva para a imprensa em um hotel em Brasília foi tomada após reunião da comitiva do partido na capital federal e consulta às bancadas da Câmara, do Senado e ao próprio presidente Michel Temer. Dessa forma, o MDB é mais um a aumentar a lista de partidos que optaram pela neutralidade no 2º turno : já são 14 até o momento.

Após lançar a candidatura do ex-ministro Henrique Meirelles à Presidência e obter apenas 1,20% dos votos válidos, terminando na sétima colocação da disputa presidencial, o apoio do MDB não era muito cobiçado por nenhuma das duas candidaturas que conquistaram espaço no 2º turno, em grande parte por conta da impopularidade e da alta taxa de rejeição do atual presidente Michel Temer.

No entanto, algumas lideranças do partido como o atual governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, que disputa a reeleição no seu estado, e o candidato derrotado ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, defendiam formalmente um apoio do MDB à candidatura de Bolsonaro. Do outro lado, porém, o senador e o governador reeleitos por Alagoas, Renan Calheiros e Renan Filho, defendiam o apoio formal à candidatura de Haddad e inclusive contavam com o apoio do PT em suas coligações regionais.

Leia também: PDT de Ciro Gomes declara "apoio crítico" a Fernando Haddad no segundo turno

De qualquer forma, com a posição de neutralidade do diretório nacional, o MDB deverá liberar suas lideranças regionais para apoiarem quem quiserem nos seus respectivos estados. O senador Romero Jucá disse que “conversei com a maioria do partido, a bancada federal da Câmara também foi consultada, e nós estamos tomando uma posição de neutralidade. Nós não vamos apoiar nenhum dos dois candidatos. Estamos liberando os membros do MDB para votarem de acordo com a sua consciência”, afirmou.

Pouco popular e muito rejeitado, o presidente Michel Temer chegou a ser consultado, mas como admitiu o próprio Jucá, teve pouca voz na tomada de decisão e apenas aceitou a definição do partido. “Eu conversei com a maioria do partido, com a maioria da executiva e conversei com o presidente Michel Temer. Ele aprovou a posição do partido. Não é uma decisão do presidente Temer, é uma decisão do partido”, disse.

Leia também: PSB decide apoiar Fernando Haddad no segundo turno das eleições

Dessa forma, a lista de partidos que declararam neutralidade no 2º turno já chega a 14 partidos, sendo eles: Novo, PP, PSDB, PRB, Democracia Cristã, PPS, PR, Democratas, Podemos, Solidariedade, PSD, Rede, Patriotas e agora o MDB. Enquanto isso, dois partidos declaram apoio formal à Bolsonaro: o PTB e o PSC; além de cinco partidos que declararam apoio à Haddad: PSOL, PSB, PPL, PDT e PSTU.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários