Tamanho do texto

Região tem 17 milhões de votos em aberto para disputa no segundo turno; Para vencer, candidato do PT precisa conquistar mais 27 milhões de eleitores

No primeiro turno, Bolsonaro obteve mais de 53% dos votos dos eleitores do sudeste, Haddad teve 19%.
Agência Brasil/Tânia Regô e Marcelo Camargo
No primeiro turno, Bolsonaro obteve mais de 53% dos votos dos eleitores do sudeste, Haddad teve 19%.

No primeiro turno da eleição presidencial, 47% dos votos dos eleitores do Sudeste do País não foram nem em Jair Bolsonaro (PSL) e nem em Fernando Haddad (PT). São 17 milhões de eleitores que terão que escolher entre um dos dois na segunda etapa das eleições. Para ganhar, Haddad terá que avançar no Sudeste, onde o PT tem perdido apoio nos últimos segundos turnos. 

Leia também: Haddad precisa de virada inédita para vencer Bolsonaro no segundo turno; entenda

As informações foram publicadas na edição do jornal Folha de S.Paulo desta quarta-feira (10). Para ter pelo menos 50% e ganhar a eleição, Haddad precisará ganhar mais de 27 milhões de votos, considerando a hipótese de ele não perder nenhum eleitor do primeiro turno. No Nordeste, Sul e Centro-Oeste houve 19 milhões de votos dados aos outros candidatos na primeira etapa, ou seja, mesmo se Haddad conseguisse todos esses votos, não ganharia. Terá que focar nos eleitores do Sudeste.

Bolsonaro , para garantir a vitória, necessita de cerca de 10 milhões de votos no País todo. O PT, além do volume de votos a serem conquistados,  vai ter de lutar contra a perda de votos em segundos turnos. Em 2002, Lula recebeu 63% dos votos contra José Serra (PSDB). Já em 2014, a aprovação do PT caiu para 44% no Sudeste, quando Dilma enfrentou Aécio Neves (PSDB). 

Leia também: Bolsonaro ainda não pode ir a debate ou fazer campanha, dizem médicos

Só em São Paulo, existem 9,7 milhões de pessoas que apoiaram outros candidatos no primeiro turno. Em tese, Haddad tem o apoio da maioria dos eleitores de Ciro Gomes (PDT), mas ainda terá que conquistar os de Geraldo Alckmin (PSDB) e João Amoêdo (Novo). 

Haddad precisa dos eleitores do Sudeste para vencer

Haddad chegou ao segundo turno da eleição com mais de 31 milhões de votos; ele precisa agora dos eleitores do Sudeste
Ricardo Stuckert - 24.9.18
Haddad chegou ao segundo turno da eleição com mais de 31 milhões de votos; ele precisa agora dos eleitores do Sudeste

A vantagem é que Ciro obteve seu maior número de votos no Nordeste, onde Haddad tem menor rejeição. Ele também foi o mais votado no Ceará, onde foi governador, obtendo mais de 2 milhões de votos. O candidato do PTD anunciou que deve declarar apoio ao petista, mas de forma "crítica". 

Marina Silva, candidata pela Rede, declarou neutralidade no segundo turno e disse que, independentemente do presidente eleito, o partido "será oposição firme e democrática", acrescentando que ela, pessoalmente, não tem identificação com Haddad ou Bolsonaro.  Já Amoêdo negou apoio ao PT, mas disse que o diretório do Novo ainda vai decidir se declara ou não apoio a Bolsonaro. 

Leia também: Haddad diz estar aberto a incorporar propostas de Ciro Gomes ao seu governo

Guilherme Boulos (PSOL) declarou apoio a Haddad e o classificou como representante da democracia e capaz de derrotar o fascismo no segundo turno.  Na primeira etapa, no último domingo, Jair Bolsonaro obteve 53%  dos votos dos eleitores do Sudeste , enquanto Haddad conquistou apenas 19% dos eleitores da região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.