Tamanho do texto

Como punição, o ex-governador ficará 10 dias sem direito à visita e vem televisão; valor encontrado com o emedebista na prisão não foi revelado

Sérgio Cabral cumpre pena no presídio Pedrolino Werling de Oliveira,  no Rio de Janeiro
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Sérgio Cabral cumpre pena no presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Rio de Janeiro

Uma vistoria na cela do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (MDB), nesta terça-feira (9), flagrou o emedebista e outro detento com uma quantidade de dinheiro acima do permitido. Como punição pela infração, Cabral ficará 10 dias sem receber visitas e sem poder assistir televisão em sua cela.

Atualmente, Sérgio Cabral cumpre pena no presídio Pedrolino Werling de Oliveira,  no Rio. A unidade integra o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. A vistoria foi realizada pela corregedoria da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), em ação conjunta com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

A Seap informou em nota que essa é "uma nova prática de fiscalização que passará a ser rotina nas unidades prisionais do estado". O órgão também afirmou que o caso será avaliado por uma Comissão Técnica de Classificação (CTC).

O valor encontrado com o ex-governador do Rio não foi revelado. Pelas regras de Bangu, o montante máximo que os detentos podem guardar na cela é equivalente a 10% do salário mínimo, ou seja, R$ 95,40. Esse dinheiro pode ser usado na cantina do presídio.

Vai-vém de Sérgio Cabral em presídios

Sérgio Cabral já está em seu terceiro presídio desde 2016, quando foi preso pela primeira vez
Fernando Frazão/Agência Brasil
Sérgio Cabral já está em seu terceiro presídio desde 2016, quando foi preso pela primeira vez

Cabral passou três meses no Complexo Médico-Penal em Pinhais (PR) após o Ministério Público Federal (MPF) alegar que ele recebia "regalias" no presídio de Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro

O político foi autorizado em abril pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a retornar ao sistema prisional do Rio de Janeiro, mas a Secretaria de Administração Penitenciária do RJ (Seap) decidiu encaminhá-lo a Bangu em vez de levá-lo à cadeia de Benfica , onde ele estava preso antes de ser transferido para o Paraná.

Preso desde 2016, Cabral já possui 183 anos de condenações em processo da Lava Jato no Rio de Janeiro e em Curitiba. Ao todo, o MPF já moveu 26 ações penais contra Cabral, que foi condenado em oito delas. Uma das condenações já foi confirmada em segunda instância.

No último dia 5, o filho de Sérgio Cabral , o deputado federal Marco Antônio Cabral, foi  condenado por improbidade administrativa por visitar seu pai no presídio de Bangu 8 por 23 vezes em dias e horários não permitidos, com a prerrogativa de ser deputado federal.