Tamanho do texto

Só R$ 200 mil dos R$ 61 milhões previstos em emendas parlamentares autorizadas pelo deputado nos últimos anos se destinam à área da segurança pública, diz jornal; coordenador de campanha minimiza a questão

Jair Bolsonaro destinou somente R$ 200 mil de emendas para área da segurança; Defesa e Saúde foram destinos favoritos
Divulgação/Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro destinou somente R$ 200 mil de emendas para área da segurança; Defesa e Saúde foram destinos favoritos

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, destinou apenas 0,3% de suas emendas parlamentares enquanto deputado federal para ações da área da segurança pública . Em seu plano de governo, o tema é considerado "prioridade" ao lado da saúde e da educação. "Tolerância zero com o crime, com a corrupção e com os privilégios", diz o documento entregue pela coligação 'Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos' à Justiça Eleitoral.

Leia também: Haddad cresce entre pobres e menos escolarizados; Bolsonaro dispara entre ricos

De acordo com dados da Lei de Acesso à Informação obtidos e publicados nesta quinta-feira (4) pelo jornal Folha de S.Paulo , Jair Bolsonaro autorizou 103 emendas no período de janeiro de 2015 a agosto de 2018. Do valor total dessas medidas, R$ 61 milhões, apenas R$ 200 mil foram destinados à segurança pública. Trata-se de recurso que ajudaria a Guarda Municipal da Prefeitura de Resende (RJ), um de seus redutos eleitorais. Até o dia 31 agosto, no entanto, essa verba ainda não havia sido empenhada.

Ainda segundo o jornal, metade dos R$ 61 milhões previstos nas emendas autorizadas pelo presidenciável do PSL ainda não foi empenhada e somente R$ 11 milhões foram pagos até o momento. As áreas mais beneficiadas pelas emendas do deputado foram Defesa (R$ 30 milhões) e Saúde (R$ 30,8 milhões).

Leia também: Alckmin evita citar Aécio Neves na TV; vice diz que "presidente sem apoio cai"

Em emendas para Saúde e Defesa, Jair Bolsonaro prioriza militares

Candidato Jair Bolsonaro foi celebrado em avião de carreira após deixar Hospital Albert Einstein, em SP
Reprodução/Twitter/PSL
Candidato Jair Bolsonaro foi celebrado em avião de carreira após deixar Hospital Albert Einstein, em SP

Do montante destinado à Defesa, R$ 16,5 milhões visam o atendimento a militares das Forças Armadas, como R$ 300 mil para o hospital escolar da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), onde Bolsonaro estudou, na década de 1970.

Já entre as emendas parlamentares que reservam recursos para a Saúde, destaca-se uma no valor de R$ 2 milhões que visa a "atenção à saúde das populações residentes em áreas remotas da região amazônica, mediante cooperação com o Exército".

À Folha , o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), coordenador da campanha de Bolsonaro, disse que o baixo número de emendas de Bolsonaro à segurança “não significa nada”. “Se ele tinha qualquer suspeita ou não confiava no [governador] Sérgio Cabral, por exemplo, como ele vai botar dinheiro lá no Rio de Janeiro?”, explicou Lorenzoni.

Leia também: Cabo Daciolo não foi convidado para o debate presidencial da TV Globo

A assessoria do candidato não comentou o assunto. Hoje recuperando-se em casa após 23 internado por conta de facada sofrida no abdômen, Jair Bolsonaro é o atual líder nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República.