Tamanho do texto

Candidato criticou material escolar que ele se refere como "kit gay", mas afirma que 'cada um, depois da sua idade, vai cuidar da sua vida'; entenda

Fala de Bolsonaro sobre homossexuais ganha repercussão:
Reprodução/Youtube
Fala de Bolsonaro sobre homossexuais ganha repercussão: "serão felizes se eu for presidente"

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou em entrevista na manhã desta quinta-feira (4), que, caso seja eleito presidente, “os homossexuais serão felizes”.  A declaração de Bolsonaro sobre homossexuais foi feita à Rádio Jornal do Commercio, de Pernambuco, quando o candidato foi questionado a respeito do que ele mesmo chama de “kit gay” nas escolas, referindo-se a materiais educativos sobre temas relacionados aos direitos LGBTQ+.

Leia também: Campanha de Bolsonaro intensifica uso de vídeos e busca apoio de mulheres e gays

“Cada um, depois da sua idade, dono de seus atos, vai cuidar da sua vida. Para crianças de seis anos de idade, não dá. O pai não quer chegar em casa e ver o seu filho brincando de boneca por influência da escola. Os homossexuais serão felizes se eu for presidente”, disse Bolsonaro sobre homossexuais .

Essa não é a primeira vez que o militar da reserva proferiu críticas ao material. Durante a entrevista Jair Bolsonaro mandou um recado ao público nordestino, a quem ele se referiu como “mais conservador e mais família”, manifestando-se contrário à supostas afirmações de que ele seria homofóbico.

“Queriam colocar no colégio filmes de meninos se beijando e meninas se acariciando. Crianças têm de ir ao colégio para estudar matemática, português e geografia. Como que o Joãozinho vai aprender sexo? O pai não quer que o filho aprenda a fazer sexo, homo ou hétero, a partir dos seus anos de idade. Aí inventaram que sou homofóbico, que vou matar gay”, afirmou o presidenciável.

Leia também: Sem alarde, bispo Edir Macedo declara apoio a Bolsonaro em rede social

Surpresa virá do nordeste

Além das declarações de Bolsonaro sobre homossexuais, presidenciável também falou sobre Fernando Haddad (PT)
iG Arte/Divulgação/Ricardo Stuckert
Além das declarações de Bolsonaro sobre homossexuais, presidenciável também falou sobre Fernando Haddad (PT)

Ainda durante a entrevista, o candidato do PSL pediu ao eleitor nordestino que conversasse com um “parente ou amigo em São Paulo” para ter mais informações sobre o mandato como prefeito de seu oponente na disputa pela Presidência, Fernando Haddad , do PT.

"A grande surpresa positiva das eleições vai vir do Nordeste. Qual a cidade que tem mais nordestino do Brasil? São Paulo! Peço para o Nordestino que tem parente ou amigo em São Paulo para ligar para ele e perguntar sobre o prefeito Haddad, que foi tão mal em São Paulo que perdeu no primeiro turno para o Doria”, declarou.

Os ataques ao petista continuaram. “Ele [Haddad] agora está servindo um homem que poderia ser um grande presidente, mas o Lula está colhendo o que ele plantou. Lamento que ele esteja preso. O PT instituiu o maior esquema de corrupção do mundo. Você conseguir combater a fraude, dá para pagar mais o povo sofrido", disse o candidato.

Bolsonaro sobre homossexuais

Outras declarações de Bolsonaro sobre homossexuais custaram processos contra o candidato
Reprodução/ Jovem Pan
Outras declarações de Bolsonaro sobre homossexuais custaram processos contra o candidato

Em novembro do ano passado, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro confirmou a condenação do então deputado a pagar uma indenização de R$ 150 mil por declarações contra homossexuais na televisão. 

As declarações  foram dadas pelo presidenciável durante sua participação, em março de 2011, no programa CQC, da TV Bandeirantes . Na ocasião, o militar afirmou que nunca lhe passou pela cabeça ter um filho gay porque os seus tiveram boa educação e um pai presente. "Então, não corro esse risco”, disse.

Bolsonaro já havia recorrido da decisão da 6ª Vara Cível do Fórum de Madureira, dada em 2015, que o condenou, por danos morais, a pagar a indenização ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, do Ministério da Justiça.

Tal decisão contra Bolsonaro sobre homossexuais a Justiça  tomou como base a ação civil pública ajuizada pelos grupos Diversidade Niterói, Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Arco-Íris de Conscientização.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.