Tamanho do texto

Para atrair voto de eleitores de centro, candidato passou a repetir que não terá o PT em seu eventual governo; "Não é mais possível" apoiar o PT, diz

Candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes tem 11% das intenções de voto, segundo pesquisa do Datafolha
Divulgação/PDT
Candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes tem 11% das intenções de voto, segundo pesquisa do Datafolha

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, adotou nessa  reta final de campanha a estratégia de se distanciar do Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar atrair o voto de eleitores de centro.

Durante debate realizado na última quarta-feira (26), Ciro Gomes  deu primeiro passo nessa direção ao dizer que não terá o PT em seu governo caso seja eleito. "Vou compor meus governos como compus os demais governos de que participei. Metade serão mulheres. Todos terão excelência técnica e ética. E adensamento político. Francamente, prefiro governar sem o PT”, afirmou.

Em entrevista concedida nessa sexta-feira (28) à  Rádio Guaíba , do Rio Grande do Sul, o pedetista refutou também uma eventual aliança com o candidato Fernando Haddad (PT) para o segundo turno das eleições. Ao afastar essa possibilidade, Ciro disse que "não é mais possível" apoiar o  Partido dos Trabalhadores .

Ex-ministro da Integração Nacional durante o governo Lula, Ciro tem identificação com o eleitorado que se considera "de esquerda", mas passou a voltar as atenções para os eleitores 'de centro'. Na prática, a estratégia significa tentar tomar votos do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin (PSDB), para ir ao segundo turno contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Leia também: Datafolha: Haddad lidera entre os menos escolarizados; Bolsonaro, entre os ricos

Ciro Gomes ganharia no segundo turno – mas, hoje, não estaria nele

Candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes disputa espaço por segundo turno com Haddad, Marina e Alckmin
Reprodução/TV Globo
Candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes disputa espaço por segundo turno com Haddad, Marina e Alckmin

De acordo com a  última pesquisa de intenções de votos, divulgada nessa sexta-feira pelo Datafolha, Ciro venceria o candidato do PSL em eventual disputa no segundo turno por 48% a 38%. Brancos e nulos somam 12% nesse cenário.

O problema maior para Ciro é justamente chegar a esse segundo turno . Hoje, ainda de acordo com o Datafolha, o pedetista tem a preferência de 11% dos eleitores, atrás de Haddad, que tem 22% e de Bolsonaro, que tem 28%.

Leia também: Haddad fala em "criar condições" para nova Constituição em seu eventual governo

Ainda no último debate, realizado pelo SBT , Folha e UolCiro Gomes  acenou aos indecisos. “Se você é eleitor do Bolsonaro porque é contra o PT, se você é eleitor do PT porque é contra o Bolsonaro, nós discordamos. Não podemos apostar na polarização.” O discurso foi ecoado na propaganda do candidato exibida neste sábado (29) na TV: "As pesquisas mostram que eu ganho com folga do PT. Não vote contra ninguém, vote a favor do Brasil", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.