Internado desde que sofreu ataque a faca, no último dia 6, Jair Bolsonaro deve ter campanha centrada na internet
Reprodução/Youtube
Internado desde que sofreu ataque a faca, no último dia 6, Jair Bolsonaro deve ter campanha centrada na internet

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, negou a intenção de que, se eleito, iria recriar a CPMF – um imposto que incidia sobre a movimentação financeira, entre 1997 e 2007. Segundo ele, quem levanta tal hipótese sobre a sua campanha está querendo "criar pânico" pois está "em pânico com a nossa chance de vitória". 

Leia também: Lula rebate vice de Bolsonaro após nova polêmica: "Faça curso sobre humanismo"

"Ignorem essas notícias mal intencionadas dizendo que pretendermos recriar a CPMF. Não procede. Querem criar pânico pois estão em pânico com nossa chance de vitória. Ninguém aguenta mais impostos, temos consciência disso. Boa noite a todos!", escreveu Jair Bolsonaro em sua página no Twitter, na noite desta quarta-feira (19).

A declaração vem em resposta a uma matéria publicada ontem pelo jornal Folha de S.Paulo , que atribui tal informação ao orientador econômico da campanha de Bolsonaro, Paulo Guedes . De acordo com o jornal, Guedes disse que pretende recriar um imposto nos moldes da CPMF.

Leia também: ‘Pacto pela Democracia’ lança carta em repúdio a declarações de Bolsonaro e vice

Além disso, a publicação também afirma que o responsável pelas questões econômicas do possível governo Bolsonaro  estuda uma alíquota única do Imposto de Renda (IR) de 20% para pessoas físicas e jurídicas. 

Você viu?

A questão realmente está em contradição. Isso porque, na própria quarta, o presidenciável – que está internado no Hospital Albert Einstein desde que sofreu um ataque a faca – publicou, ainda em suas redes sociais, que o lema de sua campanha é "chega de impostos".

"Nossa equipe econômica trabalha para redução de carga tributária, desburocratização e desregulamentações. Chega de impostos é o nosso lema! Somos e faremos diferente. Esse é o Brasil que queremos!", escreveu.

De acordo com o jornal O Globo , o candidato do PSL chegou a telefonar para Guedes a fim de pedir explicações sobre a tal ' nova CPMF ' citada pela Folha . As informações sobre tal telefonema veio do coordenador da campanha do presidenciável em São Paulo, o deputado Major Olimpio.

Leia também: Bolsonaro alcança 28,2% e Haddad se isola em segundo, com 17,6%, aponta CNT/MDA

Segundo ele, Jair Bolsonaro não tinha sido consultado pelo economista sobre o assunto. Porém, ao telefone, Guedes explicou que não tem a intenção de recriar a CPMF, mas sim a vontade de adotar um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) em uma simplificação tributária a ser implementada pelo novo governo e que não iria aumentar a carga tributária.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários