undefined
Beto Barata/PR - 26.6.17
Uma das razões para o empate entre Daciolo e Meirelles é o peso negativo de Temer na campanha do MDB

Dinheiro traz felicidade? Talvez sim, mas não tem garantido votos nas eleições presidenciais deste ano – ao menos não para o candidato Henrique Meirelles, responsável, no MDB, por “defender o legado” de Michel Temer no pleito de outubro. Para se ter uma ideia, Cabo Daciolo e Meirelles estão empatados tecnicamente na corrida pelo Planalto, mesmo com gastos absolutamente desiguais.

Leia também: Em mais um vídeo, Temer ataca João Doria e pede para tucano "desacelerar"

Tendo dispendido, até o momento, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, R$ 43 milhões de seu próprio bolso no custeio de sua campanha, o ex-ministro da Fazenda do MDB está estagnado nas pesquisas, empatado com presidenciáveis com pouca expressão política e quase nenhuma verba. No caso, o empate técnico entre Daciolo e Meirelles ilustra bem, além da disparidade de gastos, o peso negativo do apoio de Temer.

Com 2% das intenções de voto, Henrique Meirelles foi alcançado, dentro da margem de erro, que é de 2 pontos para mais ou para menos, pelo cabo dos Bombeiros do Rio de Janeiro que pretende salvar o Brasil de uma delirante conspiração Illuminati , e que declarou ter gasto R$ 738,37 (setecentos e trinta e oito reais e trinta e sete centavos, sim), em sua campanha eleitoral.

Enquanto o principal fiador da campanha do emedebista é ele próprio, o pouco dinheiro de que dispõe Daciolo vem de uma campanha de financiamento coletivo na internet. O cabo recebeu doações na casa dos R$ 9 mil – ou seja, ainda lhe resta mais de R$ 8 mil para gastar nas próximas semanas.

Leia também: Alckmin rebate ataques de Temer e diz que presidente "não tem liderança"

Outras candidaturas bastante modestas também estão emparelhadas com a de Meirelles. Vera Lúcia, do PSTU, é a preferida de 1% dos eleitores, assim como Guilherme Boulos , do PSOL. Dentro da margem de erro, estão empatados com o ex-ministro, ainda, João Goulart Filho (PPL) e José Maria Eymael (DC).

João Amoêdo (Novo), outro milionário que disputa as eleições, também não decolou, alcançando apenas 3%. Ainda assim, a comparação é negativa para Meirelles, uma vez que este conta com um dos maiores tempos de TV entre os candidatos.

Daciolo e Meirelles têm, ainda, pouco mais de duas semanas para melhorara suas posições nas pesquisas. Uma reviravolta vinda dos dois, contudo, é considerada improvável por todos os institutos de pesquisa.

Leia também: Haddad diz que afinidade entre Alckmin e Temer é "bola de ferro no pé" do tucano

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários