undefined
Divulgação/Instituto Lula
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve candidatura barrada pelo TSE por conta da Lei da Ficha Limpa

O advogado da campanha do PT à Presidência da República, Eugênio Aragão, garantiu nesta quarta-feira (5) que não houve má-fé na divulgação de propagandas em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda aparece como candidato do partido ao Planalto .

Ex-ministro da Justiça na gestão Dilma Rousseff (PT), Aragão disse que a equipe de produção publicitária conseguiu refazer os programas em que Lula era apresentado como candidato, mas a troca das gravações com as que já haviam sido entregues às emissoras não foi concluída em tempo. “Não foi afronta! Foi um problema técnico. Não conseguimos trocar todas as mídias em tempo”, disse o advogado.

Preso desde abril após condenação em segunda instância na Lava Jato, o ex-presidente Lula teve sua candidatura barrada na madrugada do último sábado (1º) pela maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ) em razão da Lei da Ficha Limpa. Após essa decisão, foram concedidas liminares que proíbem propagandas em que o petista surge como candidato.

O PT tem até a próxima terça-feira (11) para substituir o nome de seu candidato ao Planalto. A expectativa é que o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad seja alçado para a condição de candidato a presidente, tendo a jornalista Manuela D'Ávila (PCdoB) como sua vice.

Aragão classificou a situa ção como "delicada e complexa" e disse que o PT vai seguir as determinações da Justiça, mas que vai manter Lula em 25% do tempo de propaganda que são permitidos pela Leia das Eleições. “Temos tido o cuidado para não extrapolar esse tempo”, disse.

Leia também: Lula perde ação por danos morais contra coordenador da Lava Jato

PT vai esperar por Lula até o último momento

undefined
Ricardo Stuckert
Ex-ministro Fernando Haddad deve ser alçado ao posto de candidato do PT devido à ausência de Lula

O Partido dos Trabalhadores ainda não desistiu de ter sua principal liderança nas eleições, e entrou com  recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a Corte afaste qualquer impedimento à candidatura do ex-presidente. A defesa de Lula também apresentou petição junto ao Comitê de Direitos Humanos da ONU para tentar assegurar que o Brasil cumpra decisão do órgão internacional recomendando que fossem adotadas as medidas necessárias para o petista participar das eleições.

Aragão definiu o momento como um "limbo eleitoral" e disse que vai esperar até o último momento para a definição da chapa. 

No TSE, o PT acumula cinco derrotas diante de tentativas de manter direta ou indiretamente Lula na disputa. A última decisão do tribunal foi proferida nessa terça-feira (4), quando o ministro Luís Felipe Salomão pediu a suspensão da divulgação de mais uma propaganda do partido na TV com a presença do ex-presidente.

*Com informações e reportagem da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários