Hoje candidato a vice, Fernando Haddad começa a assumir protagonismo nas campanhas do PT
Divulgação
Hoje candidato a vice, Fernando Haddad começa a assumir protagonismo nas campanhas do PT

O Partido dos Trabalhadores (PT) modificou seu programa para o horário eleitoral gratuito no rádio desta terça-feira (4), dando maior destaque para o até agora candidato a vice-presidente, Fernando Haddad. O partido foi proibido, por duas decisões liminares do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , de manter suas peças que apresentavam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato. 

No programa que foi ao ar nesta manhã, o PT manteve a estratégia de exaltar feitos do governo do ex-presidente e também de defender o cumprimento da recomendação do comitê de Direitos Humanos da ONU a favor da participação de Lula nas eleições. O partido, no entanto, desta vez menciona o fato de que o TSE barrou a candidatura do ex-presidente e começa a fazer a transição do destaque para Fernando Haddad , lançando a ideia de que "Haddad é Lula".

"Os que perseguem Lula, perseguem o povo brasileiro. Ele está preso enquanto o governo Temer bagunça o País, corta os direitos do povo e entrega nossas riquezas aos estrangeiros. Aqui, faço um juramento de lealdade ao ex-presidente Lula. Não vamos descansar. Vamos libertar os brasileiros de toda essa injustiça", afirma o ex-ministro na propaganda.

O Partido dos Trabalhadores também modificou seu jingle de campanha. O trecho que antes dizia "chama que o homem dá jeito" agora versa "chama que o 13 dá jeito".

Você viu?

O jingle petista foi um dos fatos que embasaram  representação do Partido Novo aceita nessa segunda-feira (3) pelo ministro do TSE Luis Felipe Salomão. Segundo os autores da ação, a música de campanha utilizada até aqui "não deixava dúvidas quanto a apresentação de Lula como candidato à Presidência da República, e Haddad como seu vice".

Mesmo com transição para Fernando Haddad, PT não desiste de Lula

Vice de Lula, Fernando Haddad teve destaque no primeiro vídeo da campanha do PT à Presidência
Reprodução/Youtube/PT
Vice de Lula, Fernando Haddad teve destaque no primeiro vídeo da campanha do PT à Presidência

O PT e sua coligação contestaram a ação do Partido Novo, considerada "maliciosa" pelos petistas. Em nota, a legenda afirmou que esse processo "induz aJustiça a erro" e "quer restaurar a censura política no País".

"A coligação substituiu os programas eleitorais cumprindo a decisão provisória sobre a candidatura  Lula  e não é responsável por erros de emissoras que não fizeram a troca de programas. Cumprimos a lei e queremos que ela seja cumprida, sem perseguição política", diz nota divulgada na noite de ontem.

Apesar de a maioria do TSE ter decidido impedir o avanço da candidatura de Lula com base na Lei da Ficha Limpa, a direção do PT ainda não efetivou a substituição de seu nome e promete recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ter Lula candidato. O prazo para a defesa apresentar os chamados embargos de declaração contra a decisão tomada pelo TSE na madrugada do último sábado (1º) se encerra hoje.

Sem Lula no páreo, o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad passa a ser o candidato principal da chapa PT-PCdoB-Pros, que terá como candidata a vice a jornalista Manuela D'Ávila.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários