undefined
Reprodução/Globonews
Pedido de registro da candidatura do ex-presidente Lula foi publicado nesta sexta-feira no Diário da Justiça

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nota, na manhã desta sexta-feira (17), em que divulga que a Organização das Nações Unidas ficou do lado da legenda quanto à validade do registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, nas eleições de 2018.

Leia também: Barroso pede para Rosa Weber decidir relatoria de ações contra Lula no TSE

O Comitê Internacional de Direitos Humanos da ONU determinou hoje que Lula "deve ter livre acesso à mídia". Além disso, ficou decidido que a candidatura do ex-presidente não poderia ser barrada antes de "julgamento justo". 

undefined
Divulgação/ONU
Documento da ONU sobre a candidatura do ex-presidente Lula nas eleições

Segundo liminar, a ONU determinou que o Estado brasileiro "tome todas as medidas necessárias para permitir que o autor [Lula] desfrute e exercite seus direitos políticos da prisão como candidato nas eleições presidenciais de 2018, incluindo acesso apropriado à imprensa e a membros de seu partido politico". 

O Comitê ainda quer que a Justiça brasileira não impeça "que o autor [Lula] concorra nas eleições presidenciais de 2018 até que todos os recursos pendentes de revisão contra sua condenação sejam completados em procedimentos judiciais imparciais e sua condenação seja definitiva".

A decisão do comitê da ONU, assinada por dois especialistas da comissão de direitos humanos da organização, Sarah Cleveland e Olivier de Frouville, destaca que “nenhuma decisão foi tomada pelo comitê sobre a substância do tema considerado”.

A decisão pede ainda que, para evitar danos maiores que não poderão ser reparados posteriormente, medidas devam ser tomadas pelo governo brasileiro.

Publicação do registro de candidatura de Lula

undefined
EBC
PT foi o último partido a registrar candidatura do ex-presidente Lula (seu candidato) à Presidência da República

A decisão da ONU vem à tona no mesmo dia em que o registro de candidatura de Lula à Presidência da República foi publicado no "Diário da Justiça Eletrônico". Com isso, deu-se início ao prazo para impugnações (questionamentos) a respeito da candidatura de Lula, que vai até o dia 22.

O PT foi o último partido a registrar candidatura à Presidência , na última quarta-feira (15). Ao todo, 13 candidatos concorrerão ao Palácio do Planalto neste ano e todos já tiveram registros de candidatura publicados. 

Segundo as regras da Justiça Eleitoral, candidatos, partidos, coligações e até o Ministério Público podem contestar as candidaturas em até cinco dias a partir do edital. Além disso, qualquer cidadão que esteja com direitos políticos válidos pode apresentar "notícia de inelegibilidade", ou seja, informar ao TSE que o candidato está inelegível.

Com a decisão da ONU , porém, foi reconhecida a existência de violação ao art. 25 do Pacto de Direitos Civis da organização. Com isso, o PT afirma que "nenhum órgão do Estado Brasileiro poderá apresentar qualquer obstáculo para que o ex-Presidente Lula possa concorrer nas eleições presidenciais de 2018".

Isso, pelo menos, de acordo com a nota da defesa de Lula, "até a existência de decisão transitada em julgado em um processo justo". 

Leia também: Militantes pró-Lula se reúnem em Brasília para registro de candidatura

A partir da decisão divulgada nesta sexta, a candidatura do ex-presidente ganha apoio da ONU também para que ele tenha livre acesso à imprensa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários