Tamanho do texto

Em palestra na cidade onde mora o petista, o pré-candidato do PRB disse que STF pode desmoralizar todo sistema judiciário caso libere o ex-presidente.

Flávio Rocha, pré-candidato pelo PRB em palestra oferecida pela Universidade Metodista
Luchelle Furtado
Flávio Rocha, pré-candidato pelo PRB em palestra oferecida pela Universidade Metodista

Em palestra na Universidade Metodista de São Paulo, em São Bernardo do Campo, na noite desta segunda-feira (2), o empresário e pré-candidato à Presidência da República pelo Partido Republicando Brasileiro (PRB), Flávio Rocha afirmou que o caso STF ( Supremo Tribunal Federal)  conceda o habeas corpus ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Supremo ficaria desmoralizando, uma vez que ,na opinião dele, há provas claras contra o petista: “ Ficou muito claro os malfeitos que foram julgados em duas instâncias. Com a condenação de mais de doze anos, eu acho que o não impedimento [da prisão] seria uma desmoralização de todo o sistema judicial brasileiro”, avaliou o executivo que presidia o conselho da rede de lojas Riachuelo. Nesta quarta-feira (4), o STF irá analisar o habeas corpus da defesa de Lula contra a ordem de prisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que condenou o ex-presidente por corrupção.

Leia também: Temer defende "liberdades individuais" em crítica indireta a prisões de amigos

Mesmo após declarar recentemente que não seria candidato à Presidência da República, Flávio Rocha se filiou ao PRB na última terça-feira (27) e anunciou a pré-candidatura que, segundo ele, foi decidida por causa da falta de opções ao cargo. “É inacreditável que neste país falte um candidato que atenda o povo, que o acalme de todas as formas”, discursou sem falsa modéstia para uma plateia formada por estudantes e professores.

Agenda Liberal

Rocha ressaltou que a falta de comprometimento da classe política com a população resultou na atual crise política e econômica. “Tivemos um período de inchaço no Estado. De gastos públicos, desmanche e de inversão de valores com o aumento da criminalidade e de corrupção”.

Leia também: MP-RJ acusa Cabral e Adriana Ancelmo de uso indevido de helicópteros do Rio

Declarando-se um liberal convicto, o pré-candidato destacou a importância da força individual e o quanto ela pode produzir para o crescimento do país que, segundo ele, está em consonância com o plano econômico delineado no documento “Uma ponte para o futuro”, apresentado em 2015 pelo PMDB e que norteia a administração de Michel Temer.  Segundo ele, o plano do atual Chefe do Executivo o inspirou porque evita o aumento de impostos, viabiliza maior participação do setor privado na construção e operação de infraestrutura. “Estamos vendo desmando na esfera política e malfeitos aparecendo o tempo todo. Mas, temos boas ideias de origem liberais desde que foi aplicado o plano”, afirmou o mais novo filiado do PRB, partido que integra a base governista de Temer.

Ligado à igreja Universal do Reino de Deus e apontado como uma versão light do também pré candidato Jair Bolsonaro (PSL), Flávio Rocha acha que o conservadorismo não está ligado ao moralismo, mas não disfarça algumas similaridades com o discurso do adversário. “O crime é uma decisão individual de alguém que puxa o gatilho ou resolve cometer um delito. Esta visão de que o bandido é uma vítima da sociedade é a razão do crescimento da criminalidade”. 

* Colaboração da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.