Tamanho do texto

Ministro da Fazenda 'apagou' por alguns segundos enquanto o presidente Michel Temer discursava na abertura de encontro do Mercosul na Argentina

Henrique Meirelles perdeu comentário de Temer sobre Protocolo de Facilitação de Investimentos do Mercosul
Reprodução/NBR
Henrique Meirelles perdeu comentário de Temer sobre Protocolo de Facilitação de Investimentos do Mercosul

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, cochilou por alguns segundos durante discurso do presidente Michel Temer (PMDB) na abertura da 50ª Cúpula do Mercosul , realizada nesta sexta-feira (21) em Mendoza, na Argentina.

Henrique Meirelles 'apagou' brevemente durante dois momentos do discurso de Temer, que destacava a assinatura do Protocolo de Cooperação e Facilitação de Investimentos do Mercosul. "O acordo amplia a segurança jurídica e facilita os investimentos entre nossos países", dizia o presidente no trecho de seu pronunciamento que não ouvido pelo ministro da Fazenda.

A 50º Reunião do Conselho do Mercado Comum e Cúpula do Mercosul e Estados Associados marca a entrada do Brasil na presidência temporária do grupo. Temer permanecerá à frente do Mercosul pelos próximos seis meses, sucedendo no cargo o presidente argentino, Maurício Macri.

Com Michel Temer no posto de presidente da organização, o Brasil deverá buscar o fortalecimento da integração regional e da agenda externa do bloco comercial com outros países e continentes.

Entre os temas a serem abordados na reunião desta sexta-feiraestão as negociações para um acordo do bloco com a União Europeia, além de outros assuntos políticos e econômicos, relacionados aos direitos humanos. Os protestos que atacam o governo da Venezuela também poderão ser discutidos durante a Cúpula diante da grave situação do país.

Leia também: Protestos na Venezuela acumulam mais de 100 mortos em quatro meses

Em seu discurso, o presidente Temer criticou o governo do presidente Nicolás Maduro na Venezuela . O peemedebista disse que a situação no país ganha "contornos de crise humanitária" e que o Brasil acompanha o cenário venezuelano "com grande preocupação".

"Somos profundamente sensíveis à deterioração do quadro político-institucional, às carências sociais que, nesse país amigo, ganham contornos de crise humanitária. Já não há mais espaço, na América do Sul, para prisões arbitrárias, para medidas de repressão política, para atitudes e atos incompatíveis com os preceitos democráticos. Já não há mais espaço para governos indiferentes à própria sorte do povo", disse Temer.

O presidente chegou em Mendoza na noite de quinta-feira (20), e falou sobre a sua expectativa para o período em que o Brasil estiver exercendo o comando do Mercosul. "Espero continuar o trabalho que o presidente Macri [Mauricio Macri, presidente da Argentina] desenvolveu com tanta propriedade ao longo desse semestre", declarou ele em entrevista. Nos últimas seis meses, a Argentina esteve à frente do bloco.

Além de Henrique Meirelles, o presidente Michel Temer também é acompanhado no encontro do Mercosul pelo ministro das Relações Exteriores, Aloísio Nunes (PSDB).

Leia também: Operador confirma repasse de R$ 11,5 milhões a Renan, Jader e Aníbal, do PMDB

Veja no vídeo abaixo o momento em que Henrique Meirelles cochila: