Tamanho do texto

A despeito da tramitação de denúncia na Câmara e de mal-estar com Rodrigo Maia, presidente garante que o "Brasil não parou" e destaca agenda positiva

Presidente Michel Temer enfrenta denúncia da PGR e desconforto silencioso com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 20.7.17
Presidente Michel Temer enfrenta denúncia da PGR e desconforto silencioso com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

A despeito da crise política decorrente da denúncia contra si , o presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (20) que o governo "nunca trabalhou tanto como nos últimos 40, 50 dias" e garantiu que o Brasil não parou, ao contrário do que propagam os “arautos do desastre”. As declarações foram feitas durante evento para anunciar a liberação de R$ 344,3 milhões para o atendimento odontológico no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Se hoje podemos revalorizar odontologia no SUS é porque trabalhamos muito com método e disciplina, um trabalho que se iniciou lá atrás, quando começamos a pôr ordem na casa para vencer uma gravíssima recessão econômica. Essa é mais uma prova de que o Brasil não parou”, disse o presidente Michel Temer .

O anúncio da liberação de recursos para o SUS no Palácio do Planalto reafirma a estratégia do governo em propagar uma "agenda positiva". No início deste mês, por exemplo, a equipe de governo levou para o Planalto o anúncio de novas vagas para o Fies em 2017, evento que normalmente seria realizado pelo Ministério da Educação.

O peemedebista enalteceu a relação entre o Planalto e o Congresso Nacional, apesar das movimentações de parlamentares que veem com bons olhos a alçada de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, para a Presidência da República  em um eventual afastamento de Temer. 

“Naturalmente, os arautos do desastre dizem que o Brasil parou, não vai fazer nada. Nunca fizemos tanta coisa como nos últimos 40, 50 dias. Tanto no plano legislativo como no plano administrativo. No plano legislativo, com o apoio do Congresso Nacional, tivemos aprovação de oito, dez medidas provisórias que estavam lá paralisadas e fizemos algo se anseia há mais de 25 anos, que é a modernização da legislação trabalhista ”.

Temer disse ainda que o Brasil vai continuar a crescer. “Quero registrar isso com muita ênfase para que não sejamos os arautos do catastrofismo. Ao contrário, que tenhamos aquilo que é muito comum entre os brasileiros, que é o otimismo extraordinário e a certeza de que o Brasil vai continuar.”

Para o presidente, o otimismo está ancorado na equipe econômica e, também, nas ações tomadas desde o primeiro dia de seu governo, que tem promovido a eficiência e transparência na gestão das contas públicas. “Estamos tratando com seriedade o dinheiro do pagador de impostos”, afirmou.

Leia também: Moro marca depoimento de Lula em ação penal sobre propina da Odebrecht

Recursos para o SUS

Os recursos anunciados pelo Ministério da Saúde serão utilizados para credenciar 34 unidades odontológicas móveis que atendem pacientes em regiões de difícil acesso e adquirir 10 mil cadeiras odontológicas e equipamentos com raio-X para os postos de saúde. As medidas incluem a contratação de 2.299 equipes especializadas em saúde bucal.

Parte dos recursos para a compra de equipamentos anunciados hoje por Michel Temer virá do Fundo Nacional de Saúde e as unidades móveis serão instaladas por meio de financiamento feito pelo Ministério da Saúde.

Leia também: Governo anuncia Sérgio Sá Leitão como o novo ministro da Cultura

*Com informações e reportagem da Agência Brasil