Lucas Ferreira Viana foi assassinado na madrugada do último domingo
Reprodução
Lucas Ferreira Viana foi assassinado na madrugada do último domingo

O jovem Lucas Ferreira Viana iria trabalhar no último domingo. Mesmo assim, movido pelo espírito alegre e aventureiro, como descrito pelos amigos, não resistiu a sua paixão pelo carnaval e, na noite de sábado, resolveu curtir a folia em um bloco que desfilava na Praça XV, no Centro do Rio.

Em um grupo de WhatsApp entre amigos mandou um áudio no qual brincava com a situação e reiterava o gosto pela vida: “Vou trabalhar virado, prefiro viver”.

Pouco depois, após se envolver em uma discussão com um menor de idade que o teria assaltado uma semana antes, ele foi assassinado com golpes de uma garrafa quebrada, que cortaram seu pescoço.

Nesta segunda, seu corpo foi sepultado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, onde amigos estavam abalados com a perda repentina e violenta.

Descrito como alegre, aventureiro e espirituoso, Lucas, que era morador da Tijuca, é apontado como uma pessoa do bem e sociável. Por isso mesmo escolheu a profissão de Relações Públicas, onde atuava.

Mas sua paixão mesmo era o carnaval. Assim, na noite de sábado, resolveu acompanhar um bloco clandestino que iria desfilar na Praça Quinze, mesmo tendo de trabalhar no dia seguinte, o que o levou a brincar com amigos.

"Estou em Botafogo em um aniversário. Vou ficar livre mais tarde e trabalho amanhã também, mas trabalho virado, prefiro viver", disse em um áudio enviado aos amigos.

Pouco tempo após mandar esse áudio, Lucas sentou com uma amiga na porta da Igreja Nossa Senhora do Carmo, na Rua Primeiro de Março. Foi quando reconheceu um menor de idade que o teria assaltado uma semana antes. Ele se levantou e se dirigiu até o suspeito, iniciando uma discussão.

Leia Também

Outros homens se juntaram ao redor, quando o menor sacou uma garrafa quebrada e golpeou Lucas no pescoço. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Souza Aguiar, mas não resistiu.

Durante seu velório e sepultamento, ainda incrédulos com o falecimento do jovem, muitos amigos e parentes falavam dele com sorriso nos rostos e lembravam os momentos ao seu lado.

"Era um cara do bem. Muito amigo mesmo. Brincalhão e adorava carnaval, por isso que foi no bloco. Inacreditável que num dia estivéssemos falando e no outro ele não estivesse mais aqui. Eu estou aqui, mas ainda está difícil crer", disse um amigo de Lucas.

Após o crime, ainda na madrugada de domingo, policiais militares do 5° Batalhão fizeram um cerco na região do Centro e prenderam o menor de idade que teria atacado Lucas e um homem, identificado como Cesar Henrique Oliveira dos Santos.

A moça que acompanhava a vítima reconheceu ambos como participantes da discussão que levou o assassinato.

Em depoimento na Delegacia de Homicídios da Capital, o menor de idade negou ter praticado o crime, mas admitiu que praticava roubos pela região junto com Cesar.

Este, por sua vez, negou conhecer o menor e disse que estava passando pela região. Ambos passarão por audiência de Custódia nesta terça-feira. Há a suspeita de que ambos façam parte de uma quadrilha que pratica roubos a pedestres na região do Centro. Por isso, deve realizar diligências em busca de outros criminosos do bando.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários