Anderson Gabriel
Reprodução
Anderson Gabriel



A família do soldado do Exército Anderson Gabriel Nogueira de Lima, de 20 anos, está em busca de informações que possam ajudar a localizar o militar. Ele desapareceu na manhã da última quarta-feira, dia 6, quando estava a caminho do Hospital Central do Exército, em Benfica.

Segundo o irmão de Anderson Gabriel, o advogado Sérgio Cardoso Júnior, de 27 anos, a família estranhou quando ele não enviou mensagem para avisar que tinha chegado no trabalho, o que fazia todos os dias.

"Ele ia para o Hospital Central do Exército e tinha o hábito de sempre falar para a minha mãe quando chegava no local de trabalho, e ontem isso não ocorreu. Tentamos falar com o quartel e ele não estava lá", disse.

Leia Também


De acordo com a família, Anderson Gabriel pegava um ônibus em São João de Meriti, onde mora, para ir até o metrô da Pavuna e de lá pegar o transporte até a estação de Triagem. Ele fazia esse trajeto há duas semanas, desde que foi transferido para o Hospital Central. Antes ele trabalhava no CPOR (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro).

Leia Também


"A gente não sabe se ele chegou a pegar o metrô. Ele não estava fardado. Ele leva a farda na mochila, e devia ter chegado no trabalho às 7h da manhã — contou o irmão". 

Anderson saiu de casa por volta de 5h da manhã de ontem, do bairro Jardim José Bonifácio, em São João de Meriti, e 1h30 depois a família já não conseguiu mais contato com ele por telefone, que estava desligado. O desaparecimento foi registrado na 64ª DP (São João de Meriti).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários