O empresário Alberto César Romano Júnior teria sido morto por milícia da Zona Oeste
Reprodução/redes sociais
O empresário Alberto César Romano Júnior teria sido morto por milícia da Zona Oeste

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) da Polícia Civil informou, na última terça-feira (28), que elucidou o desaparecimento de Alberto César Romano Júnior , de 33 anos. A principal linha de investigação aponta o envolvimento da milícia da Zona Oeste no homicídio e ocultação de cadáver da vítima.

O empresário estava a caminho de uma reunião de negócios quando desapareceu no fim da tarde da última sexta-feira (24), após cortar o cabelo em uma barbearia no Recreio dos Bandeirantes.

De acordo com a DDPA, o crime teria sido motivado por transações imobiliárias realizadas pelo empresário na região onde o grupo paramilitar atua.

O carro de Alberto César foi periciado, imagens de câmeras foram analisadas e os suspeitos estão sendo identificados pela especializada. As investigações continuam para localizar a vítima e os autores do crime.

Relembre o caso

Alberto César Romano Júnior, de 33 anos, foi visto pela última vez em em uma barbearia no Shopping Barra World, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, por volta das 17h de sexta-feira (24). No dia do desaparecimento, Alberto usava uma camiseta branca, calça jeans e tênis de cor preta.

Ele saiu do estabelecimento em seu carro, modelo Civic, na cor prata. Para ajudar nas investigações, a polícia solicitou o rastreamento do veículo, que indicava estar em uma comunidade próxima de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.


Com as informações, policiais do 27ºBPM (Santa Cruz) foram à Estrada Santa Eugênia, em Paciência, neste domingo, onde localizaram um veículo abandonado.

Quando receberam a notícia da localização do veículo, os policiais contaram à família que o carro não tinha sinais de roubo e estava trancado na beira da estrada. Também foi constatado que nada foi levado do veículo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários