Marcelo Luiz Nogueira de Santos era próximo da família Bolsonaro
Reprodução
Marcelo Luiz Nogueira de Santos era próximo da família Bolsonaro



Dados da quebra de sigilo bancário de um ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) que confessou ser obrigado a devolver parte dos salários, Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, comprovam que ele fazia saques em dinheiro vivo de até 93% da sua remuneração dias depois do pagamento. Procurada, a defesa do senador nega irregularidades.

Marcelo admitiu, em entrevista ao site "Metrópoles", que era obrigado a devolver mais de 80% da reuneração que recebia como funcionário de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio , na época em que o filho "01" do presidente da República Jair Bolsonaro era deputado estadual. Ele esteve lotado no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) entre 2003 e 2007 e disse na entrevista que devolveu, ao todo, cerca de R$ 340 mil, e que a prática era condição para a manutenção do emprego. Os valores, segundo ele, eram sacados e repassados em espécie.


O GLOBO teve acesso à movimentação bancária de Marcelo Luiz referente ao ano de 2007, obtida pelo Ministério Público do Rio na investigação das rachadinhas no gabinete de Flávio na Alerj.

Você viu?


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários