carro da PRF
PRF/Divulgação
O suspeito e a vítima foram encaminhados à Polícia Civil de Ponte Nova

Na madrugada desta quarta-feira (21), um pastor de 59 anos foi preso por importunação sexual , na Região Central de Minas Gerais . A vítima, de 39 anos, era passageira de um ônibus que seguia de Vitória (ES) para Belo Horizonte . Assim que soube do ocorrido, o motorista acionou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). As informações são do jornal Estado de Minas.

De acordo com os policiais, a mulher relatou que, enquanto ela dormia, o passageiro ao lado colocou as mãos dentro de sua calça, fazendo movimentos fortes. "Ela foi acordada com o ato do homem e acionou o motorista, que parou no posto da PRF", informou a instituição.

Ao ser questionado pelos policiais, o homem se apresentou como pastor e ainda justificou o ato, alegando que estava dormindo e "sonhou". Porém, segundo a PRF, depois ele admitiu que cometeu o ato libinoso não consensual para satisfação pessoal. "Ele tentou se justificar dizendo que ‘estava há 20 anos sem uma mulher e por isso caiu em tentação’”, disse a polícia.

Conforme as informações do jornal, a vítima e o homem foram levados para a delegacia e, no início da tarde, a Polícia Civil informou que a prisão em flagrante do suspeito havia sido ratificada pelo delegado e o criminoso foi encaminhado ao sistema prisional.

Crime de importunação sexual

De acordo com o EM, o artigo 215-A, da Lei nº 13.718, de 24 de setembro de 2018, classifica o crime de importunação sexual como o ato de “praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”. Dessa maneira, a pena varia de um a cinco anos de prisão, “se o ato não constitui crime mais grave”.

    Veja Também

      Mostrar mais