carro parado em rua
TV Globo/Reprodução
Câmeras flagraram motorista indo para banco de trás de veículo

A Polícia de São Paulo indiciou um motorista de aplicativo de 47 anos por suspeita de estuprar uma estudante de 20 que pediu um carro ao sair de uma confraternização em um bar no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da capital.

A jovem narrou à polícia que saiu do bar por volta das 4h e acordou no meio da tarde, sem saber ao certo como tinha chegado em casa, sentindo dores na área genital e com uma conta de R$ 109 no aplicativo. No detalhamento da corrida, ela percebeu que o trajeto feito pelo motorista , que dura no máximo 30 minutos, durou cinco horas.

Leia também: Motorista de aplicativo é suspeito de se masturbar na frente de passageira

Em entrevista ao programa SP2, a estudante, que não foi identificada, conta que estava alcoolizada e tinha poucos flashes do que ocorreu. Ela narrou lembrar do carro em movimento e depois lembrar do motorista no banco de trás do veículo junto a ela, que já estava com as calças abaixadas. Câmeras de segurança no trajeto feito pelo carro mostram o motorista parando o veículo e indo para o banco de trás.

Em depoimento à polícia, o motorista confirmou o ato sexual, mas afirmou que foi “seduzido” pela estudante. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou que ouviu o motorista, que foi indiciado por estupro de vulnerável. Um inquérito foi instaurado pela 1ª Delegacia de Defesa da Mulher para investigar o caso.

Leia também: Pastor evangélico é investigado por estupro de mulheres no Recife

A jovem está sob uso de um coquetel de medicamentos para evitar Doenças Sexualmente Transmissíveis e aguarda resultado de exames. Ela contou que conferiu a avaliação do motorista antes da corrida e que confiou em fazer a viagem porque ele tinha cinco estrelas.

Em nota, a 99, empresa responsável pelo aplicativo da corrida, afirmou que "lamenta profundamente esse caso e reitera que repudia veementemente esse tipo de violência". A marca garantiu, ainda, que "Assim que tomamos conhecimento, banimos o motorista e mobilizamos uma equipe que está em contato com a passageira para oferecer todo o acolhimento e suporte necessários. Estamos disponíveis para colaborar com as investigações da polícia".

    Leia tudo sobre: aplicativo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários