Um estudante de 20 anos morreu após um tumulto no carnaval de São Paulo, no fim da tarde do último domingo, na Freguesia do Ó, Zona Norte da capital. Testemunhas disseram à polícia que houve uma correria durante um bloco carnavalesco quando um grupo começou a roubar os pertences dos foliões.

Leia também: Alunos das escolas estaduais de São Paulo serão instruídos sobre o coronavírus

Foliões no carnaval
Fotoarena / Agência O Globo
Foliões no carnaval


A polícia chegou ao local logo depois para atender a uma ocorrência de confusão generalizada e mal súbito e encontrou o rapaz ainda com vida. Apesar de não apresentar sinais de violência e ter recebido atendimento de reanimação numa tenda de pronto-socorro, ele morreu no local.

O estudante não apresentava sinais de violência, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. A polícia solicitou e está analisando imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos próximos ao local do incidente.

O laudo pericial está sendo elaborado e deve ficar pronto nos próximos dias. O caso está registrado no 13º DP, no bairro da Casa Verde.

Desde o início do pré-carnaval, sete pessoas foram baleadas e quatro esfaqueadas próximas a outras festividades nas ruas de São Paulo. A maioria das agressões ocorreram após as vítimas reagirem a tentativas de assalto ou furto.

Leia também: 'Nenhuma chance', diz Maia sobre votar anistia a policiais do Ceará

A polícia investiga ainda se um homem, morto após reagir a assalto na região central, participava dos desfiles na região. O carnaval registrou também 1,5 mil detenções de pessoas pela polícia e mais de uma tonelada de drogas apreendidas desde a madrugada de sexta, 21, até a tarde da terça-feira de carnaval .

No domingo, o funcionário público Pedro Henrique de Sá Gonçalves da Silva, de 28 anos, foi esfaqueado e morto após reagir a assalto na República, no centro de São Paulo. Segundo a Secretaria de Segurança Pública , ainda não é possível confirmar se a vítima participava do carnaval de rua na região antes do assalto. A polícia registrou o caso como latrocínio.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários