Tamanho do texto

Na noite de 14 de março de 2018, Ronnie Lessa e Élcio Queiroz disseram que estavam em um bar e ficaram bebendo até quatro horas da madrugada

Fotos de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz um ao lado da outra arrow-options
Divulgação/Polícia Civil
Ronnie Lessa (esquerda) e Élcio Queiroz (direita) foram presos acusados de matar a vereadora Marielle Franco

Os suspeitos de terem matado a ex-vereadora carioca Marielle Franco disseram em depoimento ao Ministério Público nesta terça-feira (5) que estavam em bar vendo um jogo do Flamengo no dia da morte dela e do motorista Anderson Gomes . Naquela noite, o clube enfrentou o Emelec, no Equador, e Ronnie Lessa e Élcio Queiroz também afirmaram que beberam até as quatro horas da madrugada naquela noite.

Hoje os dois estão presos na penitenciária de segurança máxima de Porto Velho e falaram com a Promotoria por meio de videoconferência no dia 4 de outubro.

Leia também: Ex-vereadora do Rio sofreu ameaça quatro meses antes da morte de Marielle

Durante seu depoimento, Queiroz confirmou que esteve na casa de Lessa no condomínio Vivendas da Barra , mesmo local onde mora o presidente  Jair Bolsonaro . Ao ser questionado se ele conhecia outra pessoa no condomínio além de Lessa, ele acrescentou que conhecia o presidente Jair Bolsonaro. "E o presidente da República, né?", afirmou.

Leia também: Caso Marielle: oposição no Congresso pede nova perícia em gravação da portaria

A Promotoria também fez perguntas sobre o motivo de Queiroz e Lessa terem procurado parlamentares do Rio na internet. Queiroz disse que havia feito várias buscas, mas não lembrava os nomes. Quanto ao deputado  Marcelo Freixo , do mesmo partido e padrinho político de Marielle, o ex-PM disse que ‘despertava interesse por ter sido candidato a prefeito’.