Traficante posou em frente ao caveirão em 2014, com fuzil na mão. Imagens foram encontradas em operação da PM.
Reprodução/redes sociais
Traficante posou em frente ao caveirão em 2014, com fuzil na mão. Imagens foram encontradas em operação da PM.

Conhecido como 'Rei do Fumo ', o traficante Edno Rodrigo Ferreira Marçal morreu durante um confronto com a Polícia Militar na última terça-feira (1º). Em uma foto, ele posava em frente a um 'caveirão', nome popular dado aos carros blindados da polícia. 

De acordo com informações apuradas pela Uol, ele foi identificado como um dos traficantes que aparece em uma imagem registrada em 2014. Na fotografia, ele aparece ao lado de um amigo, ambos sem camisa e segurando armas de grande porte. 

Leia mais: Jovem que foi morta ao sair para comprar fraldas foi estuprada antes

Um segundo homem que não estava na foto, identificado como Wallace Martins Leite, também foi morto. Os dois foram encontrados feridos após uma operação realizada pela Polícia Militar na favela e levados para o Hospital Estadual Carlos Chagas. Ambos chegaram sem vida na unidade. Um policial também ficou ferido por estilhaços de bala e foi levado para o mesmo hospital. Dois fuiz foram apreendidos.

Fotografias

As imagens em que Wallace e Edno aparecem foram encontradas durante a investigação do Gaeco a respeito do envolvimento de Policiais Militares com o tráfico de drogas nos morros de Jorge Turco, Complexo da Pedreira e Serrinha, na zona norte do Rio. 

Você viu?

O Ministério Público foi acionado sobre a participação de nove policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) no recebimento de propina do tráfico. Em troca, eles avisaram sobre operações do batalhão nos locais.

Leia também: PM preso por torturar jovem tentou sua guarda com falsa ocorrência

A suspensão das funções dos agentes foi determinada pela Justiça Militar. Oito policiais vão responder pelos crimes de associação criminosa e corrupção passiva. Um foi denunciado por associação para o tráfico de drogas.

Outros dois agentes da unidade expuseram a perigo a viatura policial, de acordo com as conclusões da investigação, mas não chegaram a ser denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários