Tamanho do texto

Quatro pessoas foram presas pela Operação Submersus, que investiga o descarte de arma que teria matado a vereadora carioca Marielle Franco

Ronnie Lessa preso arrow-options
Reprodução/TV Globo
Ronnie Lessa foi preso em março.

A esposa de Ronnie Lessa – policial militar reformado, acusado pela morte da vereadora carioca Marielle Franco  (PSOL-RJ) e do motoristas Anderson Gomes – foi presa, nesta quinta (3), por planejar o descarte de armas que estavam em apartamento de Lessa . Segundo a polícia, uma delas pode ser a arma utilizada para cometer o assassinato.

Leia também: Uma pessoa foi morta a cada 12 minutos no primeiro semestre de 2019

Além da esposa, Elaine Lessa , outras três pessoas foram presas pela Operação Submersus , que investiga o descarte das armas em alto mar. São elas o empresário Márcio Montavano, o Márcio Gordo, o irmão de Elaine Bruno Figueiredo e Josinaldo Freitas, o Djaca.

Após prender Ronnie Lessa , em março deste ano, a polícia teria recebido denúncia de que um apartamento do casal era utilizado para fabricar os fuzis  utilizados no crime.

Quando a polícia chegou no local, no entanto, não encontrou nada. No mesmo mês, foi descoberto que as armas foram descartadas em alto mar .

Leia também: Polícia Militar mata traficante que tirou foto armado em frente a 'caveirão'

Elaine é acusada de planejar o esvaziamento do local. Ela teria orientado Márcio Gordo a retirar as armas do apartamento (o episódio foi flagrado por câmeras de segurança).

O irmão de Elaine é suspeito em ajudar na execução. E Djaca teria sido o responsável pelo descarte das armas no mar.