undefined
divulgação/canil da PM

Canil da PM participou da Operação Direção Segura neste final de semana

O Batalhão de Trânsito da Polícia Militar faz um trabalho de conscientização do motorista e também de combate aos condutores que insistem em dirigir sob efeito de álcool. Nessa sexta-feira (13), o Canil da PM prestou apoio durante a megaoperação "Direção Segura" e deu resultados onde o etilômetro não consegue atuar.

Leia também: ROCAM é a resposta rápida contra o crime nas ruas de São Paulo

"Nós fomos solicitados pelo Segundo Batalhão de Polícia de Trânsito. Eles tinham dez pontos de bloqueio simultâneo espalhados pela zona leste da capital. Colocamos uma viatura do nosso Canil da PM nesses locais e reforçamos a segurança para maior efetividade da operação", diz o Tenente Tongu.


Bafômetro para bebida e Canil da PM para as drogas

A operação tinha acabado de começar quando a equipe do Canil comandada pelo Tenente Tongu foi chamada para apoiar uma vistoria veicular. "O Sargento de Trânsito suspeitou de um carro e disse que poderia ter algo de errado. Segundo ele, a conversa com os dois homens estava estranha e então seria pertinente acionar os cães", diz o Tenente .

Leia também: Policial feminina da Cavalaria da PM olha na cara de criminosos e eles tremem

Antes de passar o cão Volt, conduzido pelo cabo Carvalho, o Tenente fez uma vistoria de segurança para checar se havia algum objeto que poderia machucar o animal. "Eu fiz essa primeira vistoria e assim que o cão entrou no carro, ele começou a raspar a lateral da janela traseira. Eu levantei o banco e não encontrei nada. As vezes, o pessoal costuma jogar alguma coisa entre o banco e a lataria, eu pensei que poderia ser algo assim, mas o cão continuou indicando ali", revela o Tenente.

Você viu?

Acreditando no faro do cão, o Tenente Tongu acabou encontrando dois tijolos de maconha. A droga estava escondida na lateral do carro. 

"Tirei a lateral de plástico e achei a droga. Os dois homens que estavam no carro já tinham passagem pela Polícia. Eles disseram que levariam o entorpecente para ser vendido em um baile funk na zona norte da capital", finaliza o Tenente Tongu.

Veja  o momento em que a droga é encontrada:


Quais são as raças de cães que o Canil da PM usa?

Cão Thor e droga apreendida na favela São Remo
Canil da PM
Cão Thor e droga apreendida na favela São Remo


São seis raças: Pastor Alemão, Pastor Holandês, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Bloodhound e Labrador. As missões de cada raça são divididas de acordo com suas habilidades específicas, como: faro, resistência, inteligência, agressividade, etc...

Leia também: Com novo fardamento, Polícia Militar Ambiental celebra 2017 histórico

Um Labrador, por exemplo, não é indicado para fazer policiamento ostensivo, porque geralmente não possui a agressividade necessária. Normalmente, o Labrador é usado para farejar entorpecentes e explosivos. Já o Pastor Belga Malinois é utilizado pelo  Canil da PM  para policiamento e também faro. O Bloodhound tem aptidão para busca de pessoas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários