Tamanho do texto

Equipes do Comandos e Operações Especiais realizaram ação para combater tráfico de drogas, apreender armas e recuperar procurados em Paraisópolis

Imagem fantasiosa que infunde terror, visão alucinatória, sombra, vulto e aparição. Essas são algumas das definições que encontramos quando buscamos a palavra fantasma nos dicionários. Nesta matéria iremos abordar duas aparições, em ambas os "Fantasmas Verdes" do COE assombraram traficantes de uma comunidade de São Paulo.

Leia também:  Fantasmas Verdes do COE resgatam três jovens perdidos na "trilha do cemitério"

COE realiza operação em Paraisópolis para combater o tráfico de drogas
Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
COE realiza operação em Paraisópolis para combater o tráfico de drogas

O COE (Comandos e Operações Especiais) é conhecido por ser uma tropa especializada em fazer abordagens furtivas, aquelas que pegam os criminosos de surpresa. O fardamento com camuflagem e as técnicas de incursão fazem com que os suspeitos muitas das vezes nem saiba como está sendo algemado. As histórias das prisões em Paraisópolis aconteceram assim.

"A operação aconteceu no dia seis da semana passada e foi desenhada um pouco antes. Fizemos um breve planejamento e fomos para a região da zona sul. Eram quatro viaturas e 20 Policiais . A missão era combater o tráfico de drogas, buscar armas e procurados da Justiça", revela o Tenente Zanetti.

Leia também: Cavalaria da PM prende assaltante com arma falsa no centro de São Paulo

Quando os PMs chegaram ao local da operação, por volta das 20h, as viaturas foram deixadas na avenida principal e começava ali a incursão a pé, especialidade de tropa. "Geralmente, os criminosos não estão acostumados com esse tipo de patrulhamento, nossa especialidade é agir a pé, usamos a furtividade e efeito surpresa. Eles ficam assustados, não conhecem a viatura, não conhecem as técnicas, o nosso equipamento. Tudo é no elemento surpresa", continua o Tenente.

Equipe COE 22 - "Eu já sabia"

Droga apreendida pelo COE
Divulgação/COE
Droga apreendida pelo COE

A patrulha formada por 4 PMs entrou pela viela 1 e com poucos minutos a operação já apresentava sucesso. "O local era escuro e utilizando nossa conduta de patrulhamento, os Policiais chegaram a ficar dois metros dos criminosos sem que eles notassem a nossa presença", diz o Tenente. Resultado: dois homens abordados e drogas apreendidas.

Na hora da abordagem, um dos suspeitos tentou fugir, mas sem sucesso. Um dos sujeitos era menor de idade, segundo o Policial, ele devia ser o olheiro. Com o outro suspeito foi encontrada a carga de droga. "A ação foi tão rápida que o traficante perguntou de onde a gente veio, estava assustado com a abordagem, sem entender como a gente apareceu na frente dele", disse o Tenente. O menor de idade foi levado até sua casa para pegar os documentos e a mãe não mostrou surpresa com a prisão: "Eu já sabia que isso ia acontecer um dia. Ele iria ser preso ou aparecer morto", disse a mãe aos PMs.

O traficante disse que tinha comprado R$ 500 de maconha para vender e acabou não tendo tempo, ao todo foram apreendidos: 176 invólucros de maconha, R$ 40 reais e um celular. Os dois suspeitos e o material foram levados para o 89º Distrito Policial. 

Leia também: Canil da PM dá "pancadão" no tráfico de drogas da zona sul de São Paulo

Equipe COE 25 - "Sem descanso"

A operação na comunidade de Paraisópolis já estava quase terminando quando uma patrulha do COE percebeu a oportunidade de agir na favela do Colombo, que fica ao lado. Quem não percebeu nada foi o traficante.

"A abordagem foi parecida, os próprios PMs não acreditavam que o traficante não estava notando a nossa presença. A gente quase conseguia colocar a mão nele e ele lá sem notar a nossa ação. Ele ainda tentou escapar, mas não teve tempo. Foi preso", conta o Tenente Zanetti.

Com o criminoso, os Policiais encontraram: 15 porções de cocaína, 12 de maconha, 12 pedras de crack e R$ 78.  Todo o material apreendido pelo COE foi levado para o 89º Distrito Policial